sábado, junho 07, 2014

sem rimas e lágrima

Soneto

Paisagem do seu rosto, cheia de forma tão vívida
Primavera de brios, amantes, almas e corpos,
Queria captar o futuro:
Ela em êxtase lindo

Viva perfumada trança de seda da maré lunar
O papel de passagem do artista falhou.
Apenas seus olhos cintilando tão triste,
Duas vezes a angústia parecia faiscar
                               
E, por estranho que fosse me magoou a imagem
Por mais doloroso não faz muito tempo
E pareceu-me num estatuto sem graça

Triste o olhar apontou pra a janela
Grandes opróbrios a ele, e vários milênios

Minha alma destinada a caminhar em angústia

Nenhum comentário: