quinta-feira, julho 24, 2014

FLIP inova


Quarteto latino ganha destaque na FLIP 


http://www.flip.org.br/




No FLIP 2014 (Festa Literária de Paraty), que se realizará entre o dia 30 de julho e 03 de agosto, dedicado ao escritor, jornalista e cartunista carioca Millôr Fernandes. A curadoria ficou a cargo do escritor Paulo Werneck. A FLIP também homenageia Centésimo quinquagésimo (150°) aniversário de nascimento do poeta mexicano Octávio Paz.

Como destaque internacional tem a presença confirmada de quatro dos mais importantes expoentes da literatura latino-americana deste início de século. Trata-se do mexicano Juan Villoro, ganhador do prêmio Herralde em 2004, pelo romance El Testigo; do chileno Jorge Edwards, autor do consagrado Persona non Grata, publicado em 1973; da argentina Graciela Mochkofsky, autora de Once, Viajar y morrir como animales, publicado em 2013; e do jovem escritor peruano radicado nos Estados Unidos, autor de Guerra pela Luz de Vela, publicado em 2005.

Juan Villoro, nascido na cidade do México em 1956, filho do filósofo Luis Villoro, é escritor e jornalista. Considerado dos mais importantes deste início de século em seu país e ainda pouco conhecido no Brasil. Formou-se em Sociologia pela Universidad Autónoma Metropolitana de México onde lecionou Literatura. Foi professor convidado em Yale, Princeton, em Boston (Estados Unidos) e em Barcelona (Espanha) onde atualmente está radicado.

Escreveu para diversos jornais e revistas durante sua carreira. Abordava vários temas como a vida cotidiana, a política, o futebol e o rock. Apaixonado pelo rock, compôs com Joselo Rangel algumas músicas que foram gravadas pela banda Café Tacuba. Ainda nesse período, entre 1977 e 1981, escreveu roteiros para o programa radiofônico El Lado Oscuro de la Luna, da Rádio Educación. Nomeado no ano 1981 como agregado cultural da embaixada mexicana na República Democrática Alemã. Viveu em Berlim Oriental até 1984. Apaixonado também pelo futebol, Villoro foi cronista em três mundiais – Copa da Itália (1990), França (1998), e na Alemanha (2010). Além de todas essas atividades, Villoro também trabalhou como roteirista de cinema. Como escritor, cultivou diversos gêneros literários. Escreveu contos, romances, e peças teatrais. Também ganhou notoriedade como autor de livros infantis.

Na composição de sua obra também misturou vários gêneros. Juan Villoro é considerado um narrador de cultura popular, ao mesmo tempo agudo e engenhoso, segundo conceitos utilizados pela literatura espanhola. Publicou seu primeiro romance em 1991. El disparo del Argón, livro infantil que foi seu grande sucesso de público e de crítica até o lançamento de El Testigo, que lhe deu premio Herralde de 2004, outorgado pelo Editorial Anagrama. No Brasil, A Companhia das Letras publicou em 2011 seu romance juvenil O Livro Selvagem lançado no México em 2008.




A FLIP desse ano, além de lançar pela Companhia das Letras, seu romance Arrecife (2011) o romancista escreverá sobre a Copa do Mundo no Brasil.

Jorge Edwards é também considerado um dos mais importantes escritores latino-americanos da atualidade. Nascido em 1931, em Santiago do Chile, é poeta, romancista. Entrou para a diplomacia, por entender que seria o melhor caminho para manter uma carreira literária. Nesta carreira conheceu e foi amigo do poeta e também diplomata Pablo Neruda, de quem é biógrafo. Seu romance A Origem do Mundo foi publicado no Brasil pela Cosac Naify, em 2013.

Será lançado na FLIP deste ano seu livro Persona non Grata, publicado em 1973, em que relata o episódio de sua vida quando foi enviado pelo governo de Salvador Allende, como embaixador do Chile, para Cuba. Em Havana, se manifestou insatisfeito com o que considerou aspectos totalitários do governo de Fidel e por isso foi considerado persona non grata, permanecendo no país apenas três meses, nos quais foi condenado ao isolamento, ninguém podia dirigir-lhe a palavra. Por fim foi exigida sua retirada do país. Desde sua publicação, este livro tornou-se um dos mais vendidos na América Latina.

A FLIP ainda traz a escritora argentina Graciela Mochkofsky, que lançará seu primeiro livro traduzido para o português - o romance Estação Terminal – Viajar e morrer como animais, pela e-galáxia, que será disponível apenas em formato digital. No Brasil ela tem alguns artigos publicados no jornal Piauí. Considerada um dos grandes talentos do jornalismo em seu país, autora especializou-se nas relações entre mídia e poder em seu país. Em seu romance-reportagem Pecado Original, publicado em 2011, aborda as disputas entre o casal Kirchner e o jornal Clarin, envolvendo interesses econômicos de ambos os lados. Na FLIP, ao lado do jornalista norte-americano David Carr, Graciela fará parte da mesa-redonda Narradores do Poder, no dia 02 de agosto, em que será abordada esta questão.

Em seu romance Estação Terminal, a jornalista relata a tragédia que colocou em crise o governo, quatro meses depois da vitória de Cristina Kirchner com 54 por cento dos votos, em 2011, o choque na estação Once de um trem da linha Sarmiento, em 22 de fevereiro de 2012. O livro é o relato do que acontece com os personagens neste acidente. São relatos de histórias em caleidoscópio de personagens em que é feita uma crítica ácida às relações de poder em seu país.

Nascido em 1977, em Lima, no Peru, Daniel Alarcón é considerado um dos mais importantes nomes entre os jovens escritores, não apenas da literatura latino-americana, mas também da literatura norte-americana. Radicado nos Estados Unidos, vive atualmente em São Francisco, na Califórnia. Tem trabalhos publicados no The New Yorker, na revista Granta, na Harper e outros periódicos. É editor associado da revista peruana Etiqueta Negra. Foi publicado no Brasil pela editora Rocco, seu romance de esteia, Rádio Cidade Perdida, em que faz um relato mordaz de um país latino-americano não identificado.

Pela editora Alfaguara, autor lançará na FLIP deste ano o seu romance À Noite Andamos em Círculos, em que aborda o mesmo cenário de seu outro romance publicado aqui.
http://www.flip.org.br/

Nenhum comentário: