sexta-feira, agosto 01, 2014

sobre Fim - o primeiro romance de Fernanda Torres





O romance de estreia de Fernanda Torres, Fim, tem como tema central a morte, ao narrar o desenlace de cinco amigos. Mas ao narrar e entrelaçar suas memórias, outros temas se entrelaçam, como a amizade, o amor, o sexo, e é claro, a vida. O livro pinta um painel sobre a geração dos pais da autora, e um período da história do país, os anos 60 e 70. Faz também um instigante retrato da cidade do Rio de Janeiro, principalmente a Zona Sul e o Centro, tendo na verdade a cidade como mais um personagem.
Cronista do jornal A Folha de São Paulo e da revista Veja Rio e colaboradora da revista Piauí, a autora recebeu de Fernando Meirelles, diretor de A Cidade de Deus (2002), o convite para escrever um conto para ser publicado em uma antologia e que seria utilizado mais tarde em uma série para a televisão. Assim foi escrito em quatro dias Álvaro, a primeira parte do futuro romance. O projeto para a série não se concretizou, enfim, e Fernando Meirelles mostrou o conto a Luiz Schwarcz, editor da Companhia das Letras. O conto foi entregue com um bilhete da autora que dizia mais ou menos o seguinte, segundo a página de cultura do jornal O Globo, de 10 de novembro de 2013: “Olha, acho que talvez haja um romance aí. Se eu criar outros quatro velhinhos e os matar, terei uma curva de evolução dramática”.
Uma vez aceita a proposta, Fernanda Torres escreveu os quatro episódios correspondentes aos outros personagens, todos na primeira pessoa, e por sugestão do editor, para os episódios que focam outros personagens utilizou a terceira pessoa. Desta forma a autora faz uma montagem com os fragmentos de suas vidas que se entrecruzam, relatando muitas vezes as mesmas situações a partir de vários pontos de vista. Com uma narrativa fragmentada, com idas e vindas no tempo e a passagem de um a outro personagem, a autora imprime dinâmica e agilidade ao texto para traçar um retrato da velhice, da solidão e da morte.
Talvez por seu trabalho como colunista e certamente por sua experiência como atriz, Fernanda Torres surge em sua primeira longa narrativa, como uma escritora já madura, consciente do que escreve, com uma prosa ágil e concisa, apresentando uma surpresa em cada frase, muitas vezes irônica e cruel, fazendo retratos bem construídos de seus personagens e um consistente painel de uma geração e de uma época na história do país a partir de pontos de vista inusitados. O romance que tem como tema a morte, trata no entanto da vida, do amor, da amizade, do sexo, da solidão e do envelhecimento.
Cláudio Rodrigues

4 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Gostei Gustavo. Parabéns! Sucesso.

Gustavo Alvarez disse...

mérito do nosso colaborador, Edu, o Cláudio Rodrigues da Silva. Excelente escritor e poeta. Agradeço por ele o elogio.

Forte abraço,

Gustavo

Francisca Aparecida Lopes Bello disse...

Perez e Claudio,otimo,parabens

Francisca Aparecida Lopes Bello disse...

bom,muito bom,bjs aos dois,perez e claudio