sábado, agosto 16, 2014

uma morena a mais et meus planos secretos

.









Paralisa meu momento em que tudo começa, a tua presença

























Silencia os automóveis e as motocicletas, a tua presença
Se espalha no campo derrubando as cercas, a tua presença.
Em oito linhas, eu morro eu calo eu sofro eu saio, eu fico eu corro. Pelos olhos, boca, narinas e orelhas, a tua presença eu subo eu serpenteio eu sangro Desintegra e atualiza a minha presença, a tua presença. braços e as minhas pernas, a tua presença. É branca, verde e vermelha, azul e amarela, a tua presença, Eu salto eu sonho eu sambo, eu lato. É a coisa mais bonita em toda a natureza, a tua presença eu sendo eu sou. Mantém sempre teso o arco da promessa, a tua presença eu sonho eu fato, eu choro eu salgo, eu mago, eu esmago, eu desmato, eu fujo do globo, eu. E volta. É tudo que se come, é tudo que se reza, a tua presença penso, eu peso eu que, eu qual eu tanta eu tento. Envolve meu tronco meus eus eu tanto, eu tango, eu fado, eu peco eu perco, eu peço eu desço, eu nasço, eu vejo eu calo, eu mudo eu cego eu me apago. Transborda pelas portas e pelas janelas, a tua presença eu me pago, e eu nego e sofro e doo de dor de nada, por nada obrigado, eu de ovo, eu chovo, eu vento, eu sumo, eu cavo eu corto, É negra, negra, negra, negra, negra, negra, negra, negra, negra, atua presença eu enforco eu abafo, eu fraco, eu rasgo, eu mato, eu planto eu ponho eu decomponho, eu desencanto eu santo, eu surto eu furto, Eufrásio. Coagula o jorro da noite sangrenta, a tua presença, eu fico eu vivi, eu medi, eu pedi, me dissolvi, eu me perdi, eu reuni meus cacos, poderoso artefato do que sobrou de mim. Eu janto eu junto, eu só e eu só eu. Eu durmo e deito a carne em meu delito.
Eu quebro de novo. 


Eu divido em oito. E fico doido.




 



Morena, morena, morena, morena,
Morena, morena, morena,
Morena...

Nenhum comentário: