quarta-feira, setembro 17, 2014

47


Hoje costumo dizer que muito é pouco é muito é talvez até muito pouco. Quantas vozes temos nós? O sonho dourado do iluminismo não vingou. Hoje sei que a opinião é volátil ou distorcida. Não sei se temos muita opção, não há para onde fugir. Devo pastar devo postar devo. Não sei se quero estar em cima ou em baixo. Não sei quantas vezes a dor foi mais sutil que as palavras. Nem sei como referir-me a elas, ou eles, não há gênero. Sentimentos... Como saber? Como dizer como são? Já não sei, já não sei. Como transformar a passagem das horas em momentos bons? Deve ser assim... quem souber me telefona.
 
 

Nenhum comentário: