quarta-feira, setembro 17, 2014

62

Urbanidade

?⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪Urbanidade. ?⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪0;�vanecem de soslaio. Estou semi �����������#0;0;&olhando?⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪tudo e escrevo. Poeta de café, actinta em apuros. Em casa não há ao sol, E r em mim, meus olhos,a meus movimentos, meu rosto. A miséria hoje me perseguido sol, caído no chão com a língua de fora, a rádio Itatiaia informa. O homem do subterrâneo emerge nas ruas sem destino. De repente me sinto palidamente constrangido. Não com o movimento da rua e os transeuntes mas comigo mesmo. E parece transpa⨪⨪⨪⨪r em mim, meus olhos, meus movimentos?⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪, meu rosto. A miséria hoje me perseguiu?⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪Lá vão eles procurar sapatos e deliberam o dia com moedas com���������������&#;

Nenhum comentário: