domingo, setembro 28, 2014

má conduta



Alegrias de quintal

"Toda verdade é simples." — Não existe ai uma dupla  mentira?
Diz-se que a mulher é profunda — por quê? se nela jamais chegamos ao fundo. A mulher não é nem sequer plana.

Nietzsche, Crepúsculo dos Ídolos





Eu não culpo minha dor. Isso seria um absurdo. Para quem não conhece a dor. Eu sempre fui o mesmo. Estava escrevendo no papel, onde meu punho corre solto. Absorto nas falhas do próprio eu, que dou, mas eu é o outro. Tantas caudas de pavão de cristo que a ética da servidão humana ainda rege o auto altruísmo. Ninguém sabe que coisa quer e nem conhece a alma que tem, como Fernando, mito casuístico, disse bem. Tudo é disperso e derradeiro, tudo é incerto, nada é inteiro. Que ânsia distante perto chora? Eu, conto a minha história. Tentei o suicídio. Mas, não fui bem sucedido. como diz meu pai, tentar é assinar um atestado de incompetência. Eles ainda acham que eu só quis fazer criar conflito. Mais conflito. A minha vida é um deslize pelo gelo do desprezo, mas nem me fodo com isso. Eu fui assim, do fim ao início. Foda-se again pois ainda bem, que sem vintém, ainda tenho dedos que escrevem isso. 4:44 da madrugada de mais um “dia”? falar de mim, seria valorizar demais e mais minhas mazelas, mas ninguém viveu o que vivo. Estou vivo. Cheguei a pensar que nascer foi eu maior erro. Meu mundo é pequeno, mas internamente esconde o universo inteiro. Sou vil, sou nobre, sou inclusive ou primeiramente, patético. “Eu sou Ninguém” disse Ulysses, e gigante Poliferno respondeu “pois então comerei Ninguém por último”


 




4 comentários:

Lucí disse...

Sinta-se acompanhado "ninguém".

Gustavo Alvarez disse...

Lucí, pensei em você hoje...
Agradeço sua companhia sem palavras. Dizem que Ninguém presta pra votar nessa eleição, então "Vote em Ninguém"

Lucí disse...

=)

rsrs

Gustavo Alvarez disse...

>¨<