segunda-feira, outubro 06, 2014

Naked-boa-noite

Mandingas de um Papagaio Mudo



  
















Gustavo Alvarez Perez mais uma vez nos encantando com o que ele tem de verdadeiro, real, intimista. A escrita, a poesia, colagens e costuras. Todas aparecem em seu trabalho atual que são suas “mandingas ou “patuás “como ele os denomina. No passado, povos faziam mandingas ou patuás em momento que necessitavam de proteção, pedidos de socorro, afugentar o mal. Eram pendurados nos pescoços dos seus necessitados, ou escondidos embaixo das roupas, costurados. Geralmente eram feitos de couro, duas partes costuradas uma na outra e o pedido ou o que fosse ficava em seu interior.E pronto o escudo estava pronto para seu uso. Perez, de um passado remoto à contemporaneidade, realiza uma ação de que o feitio de suas mandingas, mesmo que apareça no seu exterior imagens do conteúdo total da mandinga, ainda assim é um mistério para o espectador. O plástico grosso, transparente, que acondiciona o conteúdo, o protege, mas não o cobre totalmente. Mistério x Curiosidade. Outra constante no trabalho do artista, palavras brigando pelo espaço com peças de metal. Uma remete à religiosidade, `proteção dos céus, uma imagem de Nossa Senhora. Outra peça, também de metal, utilizada para ajudar a colocar linha em agulhas de costura.Costurar os pedidos, a vida, os sonhos, não se sabe. Os signos estão ali, não sabemos seus significados. Somente Perez os conhece, e Perez, pelas metades, sem concluir, deixa o espectador esperando por uma totalidade, que não virá. O espectador se encanta com o que vê. A arte de Perez é vitoriosa, é colocada em entrelinhas, gloriosas, solitárias, pequenos pedaços de uma grande vida, que só a Ele pertence. O que compartilha já basta para nos encantar.

Nenhum comentário: