quinta-feira, janeiro 30, 2014

Canção


O peso do mundo
é o amor.
Sob o fardo
da solidão,
sob o fardo
da insatisfação 

o peso
o peso que carregamos
é o amor.

Quem poderia negá-lo?
Em sonhos
nos toca
o corpo,
em pensamentos
constrói
um milagre,
na imaginação
aflige-se
até tornar-se
humano -
sai para fora do coração
ardendo de pureza -

pois o fardo da vida
é o amor,

mas nós carregamos o peso
cansados
e assim temos que descansar
nos braços do amor
finalmente
temos que descansar nos braços
do amor.

Nenhum descanso
sem amor,
nenhum sono
sem sonhos
de amor -
quer esteja eu louco ou frio,
obcecado por anjos
ou por máquinas,
o último desejo
é o amor
- não pode ser amargo
não pode ser negado
não pode ser contigo
quando negado:

o peso é demasiado
- deve dar-se
sem nada de volta
assim como o pensamento
é dado
na solidão
em toda a excelência
do seu excesso.

Os corpos quentes
brilham juntos
na escuridão,
a mão se move
para o centro
da carne,
a pele treme
na felicidade
e a alma sobe
feliz até o olho -

sim, sim,
é isso que
eu queria,
eu sempre quis,
eu sempre quis
voltar
ao corpo
em que nasci.


Allen Ginsberg

Los niños...


Yin Yang

Coca-Cola e Felicidade
A Tigresa Branca e O Dragão de Jade


São formas de Sustentabilidade



 Thaís Weick






sopa paraguaia

Janeiro acaba hoje, e no momento em que a atenção midiática e, com ela, a atenção dos habitantes da cidade se volta para a retomada de um ciclo, a novidade veio dar à praia, mas a onda desaguou na rua.
Para quem vem de lá, ainda com areia nos pés, encurto caminho entre o samba soul blues bossa jazz e trago até vocês interessados em saber o que há por aqui.

Original ainda é o velho, o tradicional é caribenho, rock and soul ao som do piano e sax tenor e o chic chic cubano embrenhou-se no tango portenho. 
Do funk ao fado cabo-verdiano, diretamente do Rio para o mundo inteiro a Rádio agora é na Rua. 

Confira!







Rádio Rua
Tudo certo? o fim de semana foi intenso... muito trabalho

Gustavo Perez
Bom ser intenso. Diga-me, em que você trabalhou?

Rádio Rua
Tivemos um evento de rua em um local chamado Pedra do Sal. a intensidade faz parte das nossas ações.
Intensidade é necessário para se fazer algo vivo. Para se construir verdades... Ou pelo menos tentar que elas existam. E é esse nosso corre na Rádio Rua. Amplificar idéias e vontades, conceitos. Tanto as nossas como a de quem quiser somar. Agora, intensidade não quer dizer desperdício. Somos do time do menos, como na matemática.
                                                          
Gustavo Perez
e quais são esses conceitos, em geral? Intenso. Vocês mantêm uma sede física ou virtual?

Rádio Rua
Menos com menos dá mais...
Nós preferimos falar de práticas a de conceitos. A rua te joga um pouco nesse mundo. Temos uma base física sim. Acabamos de alugar no catete

Gustavo Perez
mas o funcionalismo é o conceito da prática. De que forma funcionam essas práticas?

Rádio Rua
Nós temos basicamente duas frentes de ação que são nossas ações, dos nossos projetos.

Gustavo Perez
Como elas ocorrem?

Rádio Rua
e a parte de amplificação dos projetos de outros, apesar do nome ser rádio rua, trabalhamos muito com o mundo virtual.

Gustavo Perez
a rádio é, de fato uma radiotransmissora?

Rádio Rua
Não somos FM.
somos uma web rádio. O que de certa forma nos da liberdade para usar do nosso modo essa linguagem radiofônica e usar da forma que nos convém.

Sem precisar do tradicionalismo das rádios FM
Gustavo Perezestá sediado em qual aplicativo?
Rádio Ruaolha, esta sediada no site www.radiorua.com.br.
Não é podcast, é web-rádio com programação 24hs
Clica no link para ouvir enquanto conversamos... Então voltando ao assunto, gosto muito de escrever. Temos uma atuação forte nas redes sociais e no mundo virtual

Gustavo Perez
estou ouvindo.
Quanto ao universo da música relacionado a essas ações sociais, como está conectado?

Rádio Rua
acreditamos nesses novos espaços que surgem. tudo junto. não somos ONG nem levamos nada para ninguém. Nesse sentido tenho medo quando você fala em ações sociais... (risos) sociais porque são para o encontro de coletivos. São ações ou de singularidades.

Gustavo Perez
hierarquia horizontal. quem faz a programação?  

Rádio Rua
olha, hoje em dia somos poucos trabalhando
conto com a ajuda de DJs, e poucos trabalhando muito
estamos sempre recebendo listas de DJs amigos e que queiram contribuir

Rádio Rua
Já tivemos muitas pessoas querendo fazer programas na rádio, mas hoje em dia assumimos que trabalhamos com listas de músicas e os programas só quando são ao vivo

Gustavo Perez
eles gravam as mixtapes?

Rádio Rua
tem gente q manda mix, tem gente que manda musicas soltas
sim.. com um projeto as terças, DJ440

Gustavo Perez
Em BH eu faço um trabalho experimental com vinil...

Rádio Rua
Ótimo. o trabalho com vinil é louvável
Diga-me uma coisa. Rola muita festa ai? Como a gente pode pensar num intercâmbio? de trazer umas festas pro o Rio e convidar umas para cá?

Gustavo Perez
O Pedro Paiva iniciou um movimento de vinil muito interessante.

Rádio Rua
Ele é do vinil é arte?

Gustavo Perez
Sim, ele mesmo.

Rádio Rua
Eu conheço uma galera aqui do Rio, desse movimento. Queria levar umas festas do rio pra rolar aí.

Gustavo Perez
Quem sabe eu posso te ajudar. Como funcionam as festas?

Rádio Rua
olha, divulgamos festas dos mais variados estilos.
O rio vive uma cultura das festas de DJs hoje em dia,
o que, a meu ver é bom e ruim.

Gustavo Perez
Às vezes eu faço groove, som direto na rua. Com tomadas emprestadas ou públicas.

Rádio Rua
massa. Nós temos um gerador... Mas fazemos muita coisa em parceria, com bares e casas noturnas.
Na pedra do sal temos um acordo com o comércio local.
inclusive domingo agora tivemos a Radio Rock, um evento dedicado ao rock, e que conta com apresentações ao vivo. Foi ótimo

Gustavo Perez
Em que consiste essa transmissão ao vivo?

Rádio Rua
Com banda, não somente DJ. Sempre abrimos para bandas tocarem. Autoral e releitura de clássicos. Na semana anterior tivemos a Radiofunk e recebemos uma banda de Belém que estava de passagem pela cidade

Gustavo Perez
Sobre o nomadismo... Vocês já têm experiência com eventos itinerantes?

Rádio Rua
Temos o auditório radio rua que foi como tudo começou

Gustavo Perez
Como se deu esse início?

Rádio Rua
A rádio surgiu em 2009 em Nova Iguaçu. A ideia inicial era montar uma auditoria de rádio na rua pra receber as pessoas das localidades. A ideia da rádio presencial para o entorno sem transmissões. E foi assim até 2010.
Em 2011 eu conheci a galera e entrei para o grupo e começamos a fazer mais coisas pelo centro do Rio.
Daí surgiu primeiro o blog depois o site e o player.
E também começamos desde 2011 um movimento forte nas redes sociais.
O que existe é o site e hoje em dia a Rádio Rua se transformou num pequeno portal de divulgação do que acontece na noite do rio, misturado a nossas ações de rua e mais a parte das transmissões ao vivo e das oficinas que a gente faz.

Gustavo Perez
Qual você considera ser mais acessado

Rádio Rua
Nossa página no Facebook, por exemplo, está indo muito bem. Temos 18.000 curtidores e 250.000 pessoas falando sobre. Estamos com uma média de 200 a 500 curtidas por dia desde o inicio de 2014.
isso reflete um pouco o nosso investimento e a tal da intensidade.

Gustavo Perez
a rádio é aberta a participações?

Rádio Rua
Mas como te falei, queremos ir pra outros estados e queremos abrir frentes.
hoje em dia tenho pessoas que querem chegar junto e estamos fechando varias parcerias legais, somando as forças.
Esse ano as coisas estão mais estáveis pra nós aqui no Rio e a próxima parada é Sampa e BH.

Gustavo Perez
como são essa frentes de ação?

Rádio Rua
Então. Temos basicamente dois tipos. Os que são em parceria com casas noturnas, como o evento que rola as terças, chamado Jazz de portas abertas. Abrimos a casa sem cobrança de couvert e fazemos uma programação de jazz com bandas do RJ e de fora.
É um sucesso que rola a mais de dois anos.
E tem nossas ações de rua com nossa radiobike, uma bicicleta sonorizada e o auditório onde recebemos bandas e fazemos entrevistas e tal.
e esse ano está começando uma nova fase de fazer as festas temáticas.
temos a radiofunk ligada a ritmos afros, latinos e tropicais e a radiorock, dedicada ao melhor do rock.


Gustavo Perez
E como se dá essa proposta da multidisciplinaridade? Política aliada à música?

Rádio Rua
Bem. Somos políticos por natureza

Gustavo Perez
Mas atua por alguma causa?

Rádio Rua
Nesse sentido amo a chamada pós modernidade. Somos híbridos de tudo, então o que me move é a necessidade de me sentir vivo. Não sou messiânico nem prego nada nem por causa nenhuma. Como disse, somos amplificadores. Como aquelas caixas de som de músico.
Só plugar uma idéia que amplificamos. Desde que também não seja algo que não tenha a ver conosco não amplificamos – políticos, igrejas...
uma das nossas chamadas é Radio Rua “
o que não toca nas FM”

Gustavo Perez
seu discurso é bastante coerente, intrigante e motivador.
gostaria de agradecer a conversa

Rádio Rua
Discurso de pedreiro. De quem quebra pedra para fazer a casa. Como aquela música do Rappa. Eu sou guerreiro. A minha é “eu sou pedreiro”...

Gustavo Perez
... trabalhador

muito obrigado!

segunda-feira, janeiro 27, 2014

eu mesmo e eu para Cris Siqueira

com amor 

                                                                    Gustav

domingo, janeiro 26, 2014

Um caminho de saída

O fio de Ariadne... a palavra-elo


Publicação by Papagaio Mudo.

sexta-feira, janeiro 24, 2014

vagabond





Agora somos três. Meu pai, minha mãe e eu. E ou, então seja, jê suis a vagabond. Eu sou um vagabundo. Estou na área onde vejo o espaço vertical. O céu silente conduz as nuvens à meia luz do poente. Ontem você sumiu. você sumiu. Bebi cada gota de garoa que se embebeu de mim também, e além da tempestade, chovi durante horas seguidas essa chuva cinematográfica, cada personagem assume seu vilão, digo, papel. Não é, Pepe? A caneta verte sua tinta e o papel a retém como convém. Um barco bêbado de quem, Yves? Pegar leve, se essa era a proposta. Alguém ma nu faz alguém sou eu. Nem amanhã, nem hoje, nem ontem. Hoje, o amanhã dos que não tiveram ontem. Hoje, o ontem de uma
manhã, ou vice-versa. O entardecer tem pressa e o sol já se pôs no azul lilás. E o céu sibila sonhos de talvez, e despeja sobre mim um simple past .



Alors que l'homme vit. A tout moment, le vagabond

Anexo

quarta-feira, janeiro 22, 2014

back like when



nós nos amamos
como quando tínhamos
sete anos

antipoético

Eu despertei e vi uma luz
como quando uma vela
acende a outra, mas agora

você não está mais aqui
e se você estivesse aqui
eu estaria aqui

ninguém dorme pelo o céu
ninguém, ninguém


a página se mantém neutra
você, em si mesma

tudo em volta está deserto
tudo certo


encontro das águas

Evoco a correnteza
Sou rio, o fluxo frenético
do meio

Sou cavalo de madeira
o intervalo
entre uma vida inteira

Encarei o abismo
e o que vi foi a mesmo

Sou delírio a esmo
um visionário devaneio

Passei por onde as cobras
desci o rio
cruzei o brejo

no
encontro das águas,
ao mar
do além Tejo

se leve, pássaro,
se lento, lebre

se fácil, homem
se fóssil, morcego


se supra some
em seu próprio

supõe-se que tenha sido por conta de uma incontrolável crise de nervos,
mas qual!

O homem estava acima ou além,
se sobrevém o meio termo

um acordo entre o céu
e inferno,

Érebo
Orco
Hades

Caldeira de Pedro Botelho...

terça-feira, janeiro 21, 2014

hold Lord

"Muito embora todas as dualidades provenham do Um, não fiques apegado a esse Um."
ensinamentos do Buda


Estou aqui. Atras dessas palavras a sua frente em frente o PC. Estou aqui, ouvindo Laren Hill acústico MTV. Estou por aqui. E porque eu deveria escrever essas palavras? Linguagem – sistema estrutural de signos. Uma coisa que está no lugar de outra coisa – idéia. Porque eu devo escrever?
Não há mais nada em mim, senão a coisa em si.
Tentei
parar de escrever não consegui.
Vou romper de repente como um raio numa tempestade. Vou cair do galho no final da tarde. Vou virar semente e viver por toda eternidade. Vou pra casa do caralho ouvir e rir. Não quero mais o sol nascente. Não mais ranger de dentes
, est me free
. Desesperação pra que? A vida é leve a vida. Você gozava suas podres delícias e eu fiquei azedo. Sem voz e sem você. E eu fiquei com medo. I guess I was afraid so afraid.
E eu sem mim se perdeu.
Onde foi?
Onde se meteu?
Sinto, sinto muito...
hold me.



no entanto nem tanto

Do not

segunda-feira, janeiro 20, 2014

Mosh Moshi esteve aqui...



Vai dar tudo certo. 

Eu acredito.
Meus amigos nunca tomaram porrada.
Eu peco, eu peço, eu rezo.
São todos campeões em tudo.
Eu sou um yoge sem mestre,
apenas um discípulo.
Dou um salto duplo para o alto do mergulho fundo e mundo e todo ninguém e todo toda tanto tantas que se foda e vai e volta e me remeda e vai a Meca e restante rasteja se não foi nunca seja pra sempre nunca jamais já mil e mais quão quanto quantas tão tantos tanta ou tanto Masô tantra? Preso gargalha amalhofado nesse mantra?
Hoje eu acordei aflito.
Não permita Deus que eu morra
sem provar no que acredito.
eu peço..

Se não, tô fudido. 



Uivo em resposta para Pinha

Pra se chegar à fina flor âmago do carinho
é preciso tinenémtitude
Se você cair no meu colo
baktinenémniamos
somos hidropônicos jazz e vozes do além
Cemitério sem perdão sem oração cartas sem vocação
Sem remetente. Blitz do além
ansiosa
Joguem suas armas fora tirem suas roupas
Está tudo verde e limão
Apareça de óculos
E um brilho e uma pureza
e um frescor imoral
sem igual
Claridade efêmera
num morango despresencial:
tineném.

time line tinenenizar - fluxo

Caiocito 


country music

  • eu sinto um frio interior que me gela a esperança esperança no mundo minha caixa de Pandora explodiu admirável mundo novo seja o bom selvagem was? como? por que? Deus espera que peçamos perdão por nossa orgia apocalíptica como ninguém se manifesta Ele manda abrir o sétimo selo e São João aprova a ideia só um cara muito ( --- ) como Bergmann
    cansei de ser sexy pergunte ao pó devore poxa o Jack morre morreu de cirrose
    foda por que? por qua? porque será? somos todos iguais essa noite ?


  • pede a banda pra tocar um dobrado
  • parece bolero, mas é sem compromisso eu queria dançar abraçado mas tem q saber sambar dobrado... às vezes eu me despeço quando vou embora mas acho que você se despe de
    demais ou de nada
    obrigado,
    Gustavo

domingo, janeiro 19, 2014

mas eu me quebrei
no meio
em mil pedaços
e vi
notei
e a gente
ficou junto
e foi maravilhoso
foi tenso
foi mal...
mas o fato é que
a gente só dá valor
quando fica sem
não digo "perder"
porque você é de você mesma
mas eu
tive
tenho

35 minutos
...não está no Hangouts no momento. Suas mensagens serão vistas mais tarde.

poxa vida
ou puta merda
conexão
tô cantando Cauby Peixoto
vou dormir Manú
nunca vou deixar de te chamar de Manú
as vezes nem sinto vontade de fumar um baseado
fico olhando pro infinito
pra ver se te acho
olho mesmo muito pro céu
deve ter alguma coisa além daqui
outras galáxias 
outras formas
outras concepções de beleza
e de tristeza
que nós não conhecemos
acredito também na inteligência de um poderoso ser supremo
que 
rege
esse universo
até as micro políticas 
de Foucault 
que c tá lendo
eu realmente não sei
de verdade 
desconheço
um único ser
que não faça
seu próprio manual de sobrevivência
e espera obter alegria
mas a felicidade é perene
somos eternos
e se eu fosse um grãozinho de areia
como eu sou
nesse universo
vou olhar por você
onde eu 
puder te ver
você me traz uma alegria
muito
muito grande
e isso não tem nada a ver com sexo
alma
Deus
mundo
talvez a vida
seja também
só uma ilusão de transcendência
queria te beijar agora
e talvez tudo se resuma nisso
mas quem inventou o amor?
foram os poetas?
e de onde eles vieram?
a gente joga uma bomba nesse lugar?
ou vai morar nele?
os dualismos,
as polaridades
tudo é fictício
me dêm algo que seja genuinamente ambíguo. 
o amor


sábado, janeiro 18, 2014

eu também


Lucrécia te ama

Lucrécia





carta

Belo Horizonte, 17 de janeiro de 2014.



Carta nevrálgica para Mardou


Calma Bety,
Segura o riso.
Eu acabo de perder o juízo.
Parece bolero, mas é sem compromisso.
Tem a ver com a gente.
Versão de avaliação. Termos de uso. Política de privacidade.



Amo muito tudo isso.






Espero que a dor de cabeça passe...




já é carnaval...