quinta-feira, fevereiro 20, 2014

Safas Loves Bordello - sexta 21

Dj Sandrinha vem de Sampa ...........................                        Confiram e DJ FAUSTO


Trancoso

domingo, fevereiro 16, 2014

Teste Piaget com você

Faltam três dias para que se encerre o terceiro ciclo de 12 anos na minha. Eu sou o resumo da ópera de Freud. A tríade freudiana encarnada. O papai, a mamãe, a transgressão. Eu não sei por que estou aqui, não posso dizer que o espaço ao meu em torno seja “o mundo”, mas tenho acesso, ainda que meu interesse seja limitado por aquilo que esse mundo produz, é impossível ficar indiferente e ele. Quando na verdade (palavra de uso meramente figurativo) creio que o mundo é que nos rege. Ninguém é senhor de si, nem o rei da Espanha, nem o Obama, nem o papa, nem o Dalai. O acaso nos trai. O fim do homem é o fim da epistéme E é sobre essa epistéme, uma forma de racionalidade que nem tem como objetivo construir um sistema de axiomas, mas viajar no campo ilimitado das continuidades e descontinuidades. Não é uma criação, mas o "lugar" onde o homem é instalado em um local em que conhece e age de acordo com as estruturas (inconsciente). A ciência moderna... Em que o homem é o objeto principal de conhecimento. A estrutura consola o homem na construção do mundo.

Uns cuidam de flores. O que é digno e supra-estrutural. Outros zelam por seu nome, viajam pelo mundo, pois viajar, trepar e comer são as melhores coisas que, supostamente, já inventaram. Outros acumulam impressões de capital cultural.
Eu sou Ziggy’s trip.




Epreuves opératoires. Jean Piaget et Constance Kamii.






Testando crianças usando a teoria cognitiva de Jean Piaget.
Você tem confia nas pessoas? de 1 a 6.
Quanto?

sábado, fevereiro 15, 2014

o andarilho






andarilho Quem alcançou em alguma medida a liberdade da razão, não pode se sentir mais que um andarilho sobre a Terra e não um viajante que se dirige a uma meta final: pois esta não existe. Mas ele observará e terá olhos abertos para tudo quanto realmente sucede no mundo; por isso não pode atrelar o coração com muita firmeza a nada em particular; nele deve existir algo de errante, que tenha alegria na mudança e na passagem. Sem dúvida esse homem conhecerá noites ruins, em que estará cansado e encontrará fechado o portão da cidade que lhe deveria oferecer repouso; além disso, talvez o deserto, como no Oriente, chegue até o portão, animais de rapina uivem ao longe e também perto, um vento forte se levante, bandidos lhe roubem os animais de carga. Sentirá então cair a noite terrível, como um segundo deserto sobre o deserto, e o seu coração se cansará de andar. Quando surgir então para ele o sol matinal, ardente como uma divindade da ira, quando para ele se abrir a cidade, verá talvez, nos rostos que nela vivem, ainda mais deserto, sujeira, ilusão, insegurança do que no outro lado do portão e o dia será quase pior do que a noite. Isso bem pode acontecer ao andarilho; mas depois virão, como recompensa, as venturosas manhãs de outras paragens e outros dias, quando já no alvorecer verá, na neblina dos montes, os bandos de musas passarem dançando ao seu lado, quando mais tarde, no equilíbrio de sua alma matutina, em quieto passeio entre as árvores, das copas e das folhagens lhe cairão somente coisas boas e claras, presentes daqueles espíritos livres que estão em casa na montanha, na floresta, na solidão, e que, como ele, em sua maneira ora feliz ora meditativa, são andarilhos e filósofos. Nascidos dos mistérios da alvorada, eles ponderam como é possível que o dia, entre o décimo e o décimo segundo toque do sino, tenha um semblante assim puro, assim tão luminoso, tão sereno-transfigurado: - eles buscam a filosofia da manhã.

13zena

na oca ôca

Vou te contar

Há muito tempo muito ideal de felicidade não é conviver.
Acho que faz desde sempre.
Desde assim.
Desse que vim morar dentro de mim.
Mas agora eu existo apenas aqui, pendurado nessas linhas.
Eu moro dentro de caixinhas
Retalhei e manuscritos
e embrulhei com eletrocardiogramas do meu pai.
Contém parte de mim.

Foda-se. 

O que contém?
eu vou ficar bem?

sexta-feira, fevereiro 14, 2014

por Ginger









  • O Bêbado e o Equilibrista
  • Se fosse para contar uma estória Falaria do bêbado e o Equilibrista Aos passos da morte em busca da vida. Vida perdida entre o ser e o nada. Regada dia e noite pelo sol e a Chuva. Como água que se debate ao chão. Como a casa e a prisão Entre o balde a cesta Escritos e Livros Um buraco que se cava, cava e cava. Onde exista luz entre a sombra. Um passo antes da barata. A cegueira de uma clara visão.


  • ...

quarta-feira, fevereiro 12, 2014

zen

Se te dizem

Se te dizem um segredo e você está disposto a realmente não contar esse segredo, você se sente importante. As coisas fluem como devem fluir, mas não fazem como queremos, o quê, quem? Sei lá. "O medo é cultural". E se se abstrai dessa cultura enraizada na barriga, e se se morre filosoficamente sem enlouquecer, pois é o que a sociedade pede aos artistas: morrer, um pouco mais de autocontrole, loucura sadia, loucura comedida, nada de loucura bandida embora essa acaba por aprender a sobreviver, tudo parece normal, tudo parece quase irreal, mesmo a dor que dói na pele, ou angústia se tornam mais suportáveis. Sei lá o que é silêncio o que reverbera dentro de mim sem dizer nada, sem se despedir mesmo quando durmo em sonho, não diz nada. Mas de madrugada, a porta do quarto se abre e aponta um brilho de outro mundo aqui mesmo na terra, o sol Shambala, o Zen, o Nada... e o sono vem novamente.


trancelim de ouro...

você não é pingente pra me bá








lançaá... aiá

Cuba!


mangue town blues


Sim, seus discos jazziam em paz. Seu som, mas ainda era maneiro. Não de maneirismo, mas de desespero. Não é fácil sair “de cão” quando se vai peleá feito cangaceiro. Bala na agulha. Beng! Beng que els dicero... 

Parou de fumar por falta de dinheiro, mas foi sincero e foi à luta. Pois a vida é curta e curta o companheiro, aquilo que a metragem de febre e ferro a cada passo te oferece. 
Voe! Dentro das aquisições fundamentais do materialismo marxista existir consiste em enfrentar temáticas novas que se aproveitam de dinâmicas societárias, como por exemplo, a indústria cultural e a transformação dos conflitos urbanos. 
Desviando-se nas curvas do labirinto, através dos fenômenos supra-estruturais primários da sociedade contemporânea.  Escapando da esteriotipisação... 

sê-lo

Adônis decidiu ser jovem para sempre. Sim. Forever young. Young forever. Ao menos até o princípio a imensidão. Arrumou suas coisas como podia. Tentava pensar em partes ou camadas, pedaços. Reunia cacos, coisinhas inúteis, até onde a vida o havia levado. Até onde havia vivido. Levando a vida. Queria nunca colocar vírgula e também nunca mudar de parágrafo.  Masticando puchos, como dice el tango. Tabaco era um inferno em Hades. Seus olhos ardiam ao acender um cigarro.  Sua cabeça orquestrava um plano, mas na geografia íntima e seca dos ideais, ainda não sabia se norte ou sul.       


domingo, fevereiro 09, 2014

Jazzie?

Warum?

Hoje minha alma vagueia entre o princípio da temporalidade e da questão espacial. A lâmpada do meu quarto queimou, estou no fim do último ato do que apenas começou: nossas vidas.
Para minha surpresa encontrei no território virtual uma sereia. Pele macia, branca, alva, clara, bacante ao me roçar as fácies como um espectro de alegria velada.
Tanta poesia... lembrávamos.
Allá Tedesca dolce bimba mia, cosa hai fato?
la vita vi attende ancora una volta a mezzogiorno per essere felici o morto sciolto il desiderio di vivere indietro.
Leben erwartet Sie noch einmal am Mittag der Wunsch, wieder glücklich zu leben oder tot locker sein.
Seremos vis ou viemos ver o que o enfim dos ventos? Seremos velhos, ou serenos sorrimos varonis como no hino?
Tudo principia ao longo da estação. A alma ninguém sabe, o desejo, nada tem a ver.
Lembra quando me atrevi a estudar o berliner naquele livro antigo? Lembra que eu fumava Marlboro vermelho e ao mesmo tempo disse, com a boca suja de cappuccino, que seria o anjo seu anjo libertário?
Sejamos os barbarismos medievais desse pós romântico hojecídio.
Não estou mais contigo, mas em si, emocionado. Um ensejo de miragem resplandece em nossa nave. Não fomos tudo que queríamos. Mas quão?
trank, aber nicht mehr
nie rauchen
können
Verletzung
meine
Eltern
Beijo sua alma eterna, liberto da servidão de apenas ser.
Bis bald,

Gustavo






sábado, fevereiro 08, 2014

Parla!

La mia vita e stata con molto felicita & tanto amore, nel senso che amare non e solo guardarsi l'un l'altro ma guardare insieme nella stessa direzione. Per me vivo con passione profondamente...
Vivo la mia vita facendo sacrifici... ma con un grande ricchezza... L'amore delle persone che mi amano e mi stiamo ogni giorni vicini.
nella mia vita non mi ha mi disilluso. Di anno in anno la trovo invece piu ricca, piu' desiderabile e piu' misterioza-da quel giorno in cui venne a me il grande liberatore, quel pensiero cioe' che la vita potrebbe essere un esperimento di chi e'volto alla conosenza-e non un do vere, non una facilita', non una frode



Kozeta Filipi


Terceiro ciclo




Ácidos graxos


Quantas poesias não lidas. Quantas palavras não ditas. Quantos filmes não vistos. Quantos livros esquecidos. Quanto tempo perdido. Quão vale a alma sem tudo isso? Qualidade ou quantidade? Quão solido que se desmanchou antes de se com só lidar. E se com o sol faz-se bemol de outras circunstancias mais soturnas. Meio sás meio a sós. Meio sóis de mim mesmos, eu você Pedro, Paulo. O arquiteto, o pedreiro, o ajudante, o sedento... Quinino no ph do organismo, menino ph alcalino. O mar, o viver conciso, o fio, a cruz. Ao que nos conduz, instiga glândulas vertiginosas nos macro axiomas ânions e nos cinturões de Orion. Íons o átimos de Cadmo e ainda somos sádicos...   

Dedicated to Peter Lima





quarta-feira, fevereiro 05, 2014

o mar...



Dio mio! Fico vendo na televisão esses caras surfando e me dá o chamado “banzo de arengueiro”. Saudade do mar, saudade de África. Saudade, saudade. Eita sentimento ruim. Dói num lugar onde não se vê. No Egito antigo pensavam que o raciocínio vinha do peito. Do coração pra ser mais exato. Eu sou um egípcio nato, nesse sentido. Putz! Fico vendo esses caras surfando sem mudar de parágrafo, quero dizer, canal. A vida é muito boa. Eu gosto de escalar, mas perdi o tesao com a galera... Esse espírito extremamente competitivo, de auto-superação do outro_que_se_foda. Sei lá... entrar na ciranda sem curtir a vibe da montanha. Muitos talvez nem saibam o que é estar na montanha. 
Faz tempo um geólogo me disse que não existem montanhas no Brasil. Mas o mar... Como existe mar ao longo da silhueta dessa pátria. Havia mesmo de ser descoberto. E inventado, pois fico pensando nos jesuítas ou nos primeiros missionários. Nas capitanias e nas primeiras empreitadas pelo mapa adentro. No tratado com a Espanha pensavam que o lugar não fosse tão grande quanto a Europa. Mas era (é) de proporções continentais - o que quer dizer bem grandes, comparado a Ásia e África. Por isso ficamos com a maior parte, digo as Tordesilhas, com ilhas e tudo mais. 
Eu sei o que é ficar no alto da serra.

terça-feira, fevereiro 04, 2014

Informativo

novo selo editorial