quinta-feira, abril 30, 2015

Sarro artesanal




em argila e viscoso verde
desleixado xereta atrofiada
China cópia da pata Sêmen novo
silêncio e saliva de rodas

enviar meio à neblina
a quente ausência do trancado
pressa dos armantes dores férias
bajuladores culatra lacaio

gozo de nuvem frouxa
conforto na garagem espaçosa
fodem -te as delícias
prece de sinos soando

seu mundo é quase perfeito
de farinha ombro e pescoço
flexões ao abrigo das nádegas e escombros
como gafanhotos partidos

Nenhum comentário: