sábado, junho 20, 2015

Escrever é falar sozinho




Acho que não consegui, mas tento. Tento imitar o céu. Deus, as estrelas, sua desenvoltura de ser. Boba, tola, que ri a toa quando nos olha. Que boia. Que não tem sotaque, que não sabe lamber. Universal a pizza do Fantástico! e nada a ver. Cada notícia de mula, digo, da Crimeia. O Par, lamento. Comprando ração para os cachorros da via verba do governo. No governo, o vice, o mano. Bem, ração "pra cachorro"de novo... De puta... Deputado metendo fita. Ração de cavalo também vale? Legal é a trilha sonora da matéria. Se for pra burro não vai dar pra todo mundo. Bichos escrotos saiam da sul, putas do Sagrada dão falando muito e tiram minha concentração sanguínea paudurística. Como é brega essa Rede Glóbulo. Ando falando sozinho mais do que devia. E
squizofrenia e capitalismo. Um  anti-Édipo confundindo tesão com filosofia. Crendo em Deleuze mais do que devia. Falsificando a poesia e esse tapete me dá alergia, o espirro de Maiakovski.. É que eu só escrevo a base de um remédio muito doido, sabe? Essa porcaria de ontologia que espera sentado na portaria do Othon. Escrever é falar sozinho. Só. Só que alguém lê e é festa de São João...

Nenhum comentário: