quarta-feira, junho 03, 2015

Eu = Eu







Oi, Raposa do deserto, ideias mortas. Ontem tive um pesadelo. Quem de fato sou eu pra você? Uma gota d’água no cacto gigante? a gotícula, gota, a gotícula de orvalho que sacia e dá vida do verme aos pássaros, inclusive você. Enquanto nas florestas tropicais, grandes pererecas no topo das árvores descem pra se acasalar. O que eu significo, além dessas palavras? grandes palavras. Vergonha? enredo? coração? cheiro de medo? perceptos? afectos? translúcido opaco raro ou comum? não responda. Apenas uma cabeça agonizante cáustica lancinante, a cicatriz risonha suave e corrosiva? marcado no seu corpo à carne viva? um pa de deux consigo mesma? não adianta. E se me expresso cafezinho , um pão-de-queijo bem quentinho, derretendo lágrimas & palavras no diminutivo da manteiga. Un ange en danger? Um anjo em perigo ou o perigo do próprio anjo? uma mancha de tinta? um olho? dois olhos? três olhos assim? coelhinho da páscoa, que trazes pra mim? um signo um índice um ponto ao acaso? Signos e sinais um peixe código ideograma hieróglifo? amores vão amores em vão amores vãos, caderno de notas? verdade na letrinha da tinta verde tinha trinta. Dor no gozo, tela papel e lábio silencioso. Se fosse adjetivado? temperança, desesperança, ilusão, paciência, virtude ou mal? nada dual, casual. Holocausto Haldol. A brisa gelada entre os lençóis significa a ordem das palavras. Sentia que me chupava cada vez mais e mais branca e alva pele clara entre os lençóis. Solidão e nudez, sorriso afônico.. Os entre-meios fim, início. Homem de Apolo Dionísio gozo retidão, lamúria nudez loucura sonho e solidão. Foda-se!...

2 comentários:

DANIELA BORALI ॐ disse...

Bárbaro!!!!!

DANIELA BORALI ॐ disse...

Bárbaro!!!!!!