sexta-feira, julho 10, 2015

Dínamo


Depois de todas as tomadas estarem em suas caixas. E os palhaços forem todos para a cama. Você pode ouvir a felicidade diminuindo rua abaixo Pegadas vestidas de vermelho E o vento sussurra. mãe. A vassoura está varrendo horrivelmente Pedaços partidos de uma vida passada, e em algum lugar uma rainha está chorando. Em algum lugar um rei não tem esposa. E o vento chora, mãe. Os planetas ficaram azuis amanhã iluminando o vazio do meu leito. Uma pequena ilha afunda lentamente porque a vida que se viveu está morta. E o vento grita, mãe. O vento sempre lembrará o nome daqueles que sopraram o passado com sua ira, sua muleta, sua maldade, seu sorriso e, finalmente, seu abismo. Ele sussurra "não, essa é a ultima vez"... Deve haver um jeito de sair daqui... Diz o cômico ao ladrão. Lá tem muita confusão, eu não tenho alívio. Homens de negócio bebem vinho. Os homens do arado cavam minha terra. Nenhum nível em suas mentes. Ninguém está fora deste mundo. Nenhuma razão para estar excitado, ou cansado, ou cego, ou surdo. Diz o amavelmente o poeta bufo. Há muitos entre nós aqui. Pensam que a vida é uma piada, mas só você e eu, somente nós passamos por isso. Esse é o nosso destino. Nosso labirinto. Lá fora na distância fria. Um gato selvagem rosnou. Dois cavaleiros estão se aproximando. o vento começa a uivar. Escuta? Escuto. Tudo ao longo da torre. Em toda parte ao longo da gleba terrestre. De agora em diante, necrófago, notívago, virago, mongo, verdugo, tangomolango, pano de fundo, chá de buceta, xibungo. 




__ estou escrevendo uma missa negra
__ mema!
Perguntam à mulher "amo" responde "ele é o pai dos meus filhos" mas ele matou todos eles, diz o interlocutor "exatamente por isso
__ mema!!!!
__ Use um espelho
__ Estou diante de um – repondo – Deus roubou meu sorriso...
__ Amém
__ Quero voltar a sorrir, mas que seja assim .
__ como você tá escrevendo a missa?
__ com os dedos
__ posso manter um pouco de mistério?
__ copulou com o outro
__ então como será a missa, quais rituais você está descrevendo?
__ as coisas que a (...) fez
__ não sei quem é ela
__ quem ela é
__ sei não. Sei que é feminino.
__ serei crítico ao extremo saiba disso.
__ não estou escrevendo pra você
__ escrevo porque escrevo.
__ mesmo assim não posso criticar?
__ claro
__ Ah, você não vai divulga-la, desculpe
__ mas não, mas vai me... ameaçar?
__ você já participou de uma missa?
__ sei lá... você também me dá medo. Missas ocultas?
__ não, uma missa tradicional
__sim, claro
__ mas até que ponto você se entregou?
__eu sou o ômega-ômega da matilha. O ponto zero zero. Deus do próprio inferno. Um Diabo no próprio paraíso. Conheço todos os rituais que envolvem uma missa, do inicio ao fim. Sentiu medo? Parabéns. Devo agradecer de joelhos?Desculpa-me. Siga...
__Objetos, encenações, eu tinha um grande potencial.
__Não tenho a menor dúvida disso. Sinto. Lamento sentir.
__Eu não senti medo, foi carência.
__Insegurança causa medo.
__você está me desafiando?
__não. não rivalizo. você sabe disso. Nunca faria isso... mesmo se estivesse.
__ Estou falando pelo jargões da psicologia que você está usando, mas de repente pode ser uma luz no abismo. Bastante fosca... não sei. Sinto. Eu já disse isso. Dormi na luz, acordei nas trevas. E é preciso um faro interplanetário, um pouco de sadismo pra saber degustar o mal que se impõe a si mesmo. Alheio. Além de todo maniqueísmo. Parece que tenho uma faca encravada nas costas na altura do pescoço. Eu sou isso. O meio, o piso e o céu permeando a dimensão. Pisando no teto. Vendo tudo do alto de si mesmo, mesmo no abismo. Eu deixei de ser Uno, ainda que tenha advindo dele. Consagre o Todo você também, pífio. Um metamorfose, o personagem se transforma numa barata e começa a criar raízes. Ele cai da colina e as raízes vão se expandindo e se fixando no chão.

Nenhum comentário: