quinta-feira, agosto 06, 2015

conversa cansativa que não chega a lugar nenhum...




Antes de se caracterizar qualquer mal-estar físico ou psicológico, espalham-se pelo corpo manchas vermelhas que o doente só percebe, de repente, quando se tornam escuras. Ele nem tem tempo de se assustar e sua cabeça já começa a ferver, a tornar-se gigantesca e o peso dela cai. Antes de se caracterizar qualquer mal-estar físico ou psicológico espalham-se pelo corpo manchas vermelhas doentes, percebe? e, de repente, quando se tornam escuras o cabelo dele cai. Ele nem tem tempo de ferver e sua cabeça já começa a se assustar, a tornar-se gigantesca pelo peso e cai. Sobre os riachos sangrentos, espessos, náusea e bun-das cor de angústia e de ópio que arrotam dois cadáveres que passam pelas estranhas de personagens vestidas de cera, com na-rizes e rá-ísis e um futuro blues compridos, olhos de vidro e montadas em uma espécie de sandálias japonesas, o sangue jorra pelas veias, ontem de manhã eu acordei e me espantei e urubu sai voando nessa hora feita com um arranjo duplo de tabuinhas de madeira, uma horizontal em forma de sola e a outra vertical, isolam dois humores infectos quando elas passam salmodiando litanias católicas absurdas, cuja virtude não as impede de submergir por sua vez no brasei-ro brasilei-ro- lusitano e tudo toda hora e todo tutano. E se algum dia algum horror, sonhado no abrigo de um sonho desfeito na desgraça, na desventura, na fatalidade, na porra de um amor, corta sua cabeça, pedaço a pedaço, e joga fora o duro córtex. E esses médicos ignaros só ostramaseomeumedo de sua puerilidade.

Nenhum comentário: