quarta-feira, outubro 28, 2015

peixe-sapo-eu-sapo-peixe

A futuros mais remotos, a meios-dias mais meridionais que os que jamais pôde sonhar a fantasia, além onde os deuses se envergonham de todo o vestuário
Assim falou Zaratustra





O extra-mim
enfim, decerto nada soube
tudo ou anything
O deserto nada há por sobrevir  
de como entornei-me Eu, ainda que assim
assim
tornei-me Eu-mim aqui
enfim
tornei-me entorno
tinta de besouro verde derramado
tinta de titiriteiro entorno inteiro
de eterno retorno
o dia diatônico reto urgia 
de gravata branca e terno vermelho
de gravatá sem terno, mas nesse modelo
feito espelho
high so far se já so long sou cama lambido
camarada libido libidinoso beija bem
se viu cívil se vil se gólgota se esgota
horizontal progesterol gol, gota-a-gota
Essa reta assíntota limita a curva, reza lenda
pela equação que não ultrapassava a dupla
mas qual, quão!? não funciona – facínora idiota!
Foi tudo em vão? tecnocratas da genipoca!
chiou meu coração cachorro, quase morro
mesmo assim, merci... foi por você que vim aqui
estames são de quatro em quatro,
dois dos quais, mais longos do que outros
diz-se dos vegetais que têm dínamos rizomáticos
gárgula garganta gargalha
Beatriz sentada aos pés da Santa
engole peido-de-xoxota
atravessei o sinal, entrei na contramão
extra-mim além acima sobre, ainda que longe daqui aqui mesmo...
nos verdes vales do fim do mundo
eis o homem, pois
o Paraíso de Dante’s now!
cem mil dentadas de animal
no mar de ossada sã dinamizada de manada
mamam menininhos mortos num pedaço de jornal
sonhei com a morte? – “não!” disse Carlos Gustavo, o Jovem
“sonhaste consigo mesmo entre os cavalos” redarguiu tão formal...
Foi daí que, sem pensar, eclodi, revidei com resposta angustiante e recriminei e acusei através do discurso verbal =
__ O peixe é o peixe, sapo é sapo e eu sou eu - animal!


sábado, outubro 24, 2015

It's funny how money changes the situation



As palavras são apenas um conjunto de letras e as frases uma junção de palavras, um parágrafo, a conjunção dessas frases e um texto, um bilhete para a eternidade. Ouvir com os olhos a palavra escrita. A semiótica busca o começo para encontrar o fim. A cor tenta retratar a realidade assim como a palavra tenta nomear a cor. A habilidade de interpretar a própria realidade está na subjetividade do olhar. A filosofia é de cada um. Não é difícil começar pelo fim, contanto que haja meios de entender. Não é difícil tentar entender o fim, sem meios nem começo. É fácil observar os meios, sem fim nem começo. É triste esperar o fim, que sempre vem. Pelos meios que me ocasionaram, até posso acreditar que o sofrimento chega sem aviso e o amor sorte do destino.
Soho. Flamenco Sketches. Chegamos ao apartamento onde Lloyd recebia seus convidados. Ele havia nos cedido durante o tempo que fosse necessário passar em NY, e finalmente saímos daquele hotel barato no Harlem. Não conseguia escrever uma linha, fazia uso de um dicionário. Uma revista em Madrid aguardava um texto meu sobre contemporaneidade e... Eu queria me jogar do prédio, mas quando olhava a vista do entardecer lá fora, mudava de ideia.
Um crítico da revista The New Yorker escreveu que “... sua maneira de escrever, even vaguely, refers to the classic Of Human Bondage, do escritor britânico W. Somerset Maughan.” ainda que vagamente remete ao clássico Da Servidão Humana. Um dos meus livros preferidos. Terá sido influência?

dedicado aos negócios



___ was wills du?

Hoje, hey Jude, nuca compreendi as suas “leis”. Mas foda-se também. Agora, o que não volta mais. Passou. Sua putinha! eu te adoro. Ao passo que ainda caminho. Com toda a minha beleza, inteligência, impulsividade. Moro na filosofia pra ninguém zombar de mim. Fingir que está tudo bem. Eu sou um farsante. Um beat angelical do Tempo. Se você estivesse aqui, mas até que eu esteja certa de que você não “não está nem aí” nunca dormirei em paz. Chet Baker e seu trio tocam as notas do jazz. Ele canta, desafina, alucina, “viaja” no som do piano e do contrabaixo. Rush na funiculina, um fugitivo do Tempo e a pantera cor-de-rosa. Um gozador. Das notas mais bonitas, mais líricas, mais enfáticas. Cada frase musical dói ah, mas como dói... E também zomba da própria dor numa espécie de ladainha jazzística. “mas hein, não tô nem aí com você”. E quando canta ele expressa esse desprezo. Desprezo pela vida, pela verdade, por você. Moto contínuo, a ladainha não pára. E é por isso que gosto dele. Ele não esgoela as notas com pavor intimidador, mas prolonga o sopro do lirismo e da angústia. Boceja nota à frente, acima e nota abaixo. Canta, vocaliza, nos agudos e nos graves. Algo de que me angustio por não saber se também desprezo a humanidade. Não que eu seja falso. Sou sincero até a morte e não penso mal de ninguém. Não projeto o mau, não “desejo” o mau. Normal que eu me sinta meio magoado por tanta coisa que desanima... Mas “acontece”. “A vida é assim mesmo...” Coitado do filho-de-uma-puta que fala isso. A vida não é assim, não engane você mesmo. As coisas acontecem da maneira que a gente não planeja, mas somos as vítimas e os algozes desse paradoxo chamado por “amor”. Chamo de “vida de relações”. Essas foram para mim um verdadeiro lixo. Eu também sou um lixo e o malfadado acontecimento diário chamado Vida, no momento me dá uma preguiça danada. Não sinto mais prazer.

sexta-feira, outubro 23, 2015

James Douglas

A única obscenidade que conheço é a violência.
Jim Morrison 

Diga não à violência

Vivemos num mundo onde nos escondemos para fazer amor! Enquanto a violência é praticada em plena luz do dia.




John Lennon

zero






Como em um vaso de mágico por beber,
no espelho dissolve lentamente seu aspecto
depois joga uma mistura do seu sorriso pronto

Aguardando o que aconteceu,
em profundez madeixa de cabelo,
mecha por mecha infundindo e,

desde o vestido expondo languidamente
seus ombros brancos e bonitos
silencioso sorver o seu caminho


Mas não assim como no amor,
esquecendo-se de tudo no mundo
corrosivo, dúvida, e um sinal 


Na parte inferior do espelho
provoca amor e precipitação tardia...

magic Hermeto



sábado, outubro 17, 2015

O QUE É VEGANISMO?


É um movimento a respeito dos direitos animais. Por razões éticas, os veganos são contra a exploração dos animais. O boicote à atividades e produtos considerados especistas é uma das principais ações praticadas por quem adere ao movimento.Teve inicio, nos anos 1940, por organizada por Donald Watson.


"O veganismo é uma forma de viver que busca excluir, na medida do possível e do praticável, todas as formas de exploração e de crueldade contra animais, seja para a alimentação, para o vestuário ou para qualquer outra finalidade. Dos veganos junk food aos veganos crudívoros – e todos mais entre eles – há uma versão do veganismo para todos os gostos. No entanto, uma coisa que todos nós temos em comum é uma dieta baseada em vegetais, livre de todos os alimentos de origem animal, como: carne, laticínios, ovos e mel, bem como produtos como o couro e qualquer produto testado em animais."
Definição criada pela The Vegan Society, da Inglaterra, mais antiga entidade vegana do mundo.
O vegano ou vegana, portanto, é a pessoa que pratica o veganismo, não contribuindo para o sofrimento dos animais. Veganismo são princípios pelos quais o ser humano deixe de explorar os animais e a prática e buscando o fim do uso de animais para alimentação, apropriação, trabalho, caça, vivissecção, confinamento e todos os outros usos que envolvam exploração da vida animal. Os veganos procuram abolir qualquer prática que explore animais, zelando pela preservação da liberdade e integridade animal. Também boicotam qualquer produto de origem animal (alimentar ou não), além de produtos que tenham sido testados em animais ou que incluam qualquer forma possível de exploração animal nos seus ingredientes ou processos de manufatura. Ou seja, não utilizam produtos de beleza, de higiene pessoal, de limpeza, etc. que não estejam isentos de crueldade.

Alimentação vegana

Veganos excluem da sua dieta carnes e embutidos, banha, vísceras, músculos, gelatina, peles, cartilagens, laticínios, ovos e ovas, insetos, mel e derivados, frutos do mar e quaisquer alimentos de origem animal. Consomem basicamente cereais, frutas, legumes, vegetais, hortaliças, algas, cogumelos e qualquer produto, industrializado ou não, desde que não contenha nenhum ingrediente de origem animal. Existem documentários, vídeos.. que vai fazer você tomar consciência deixarei links abaixo. Links | Sites veganos e direitos animais.
ANDA
www.anda.jor.br

Camaleão

www.camaleao.org


Gato Verde
www.gatoverde.com.br

Muda o Mundo
www.mudaomundo.org

Olhar Animal
www.olharanimal.org

PEA – Projeto Esperança Animal
www.pea.org.br

Pensata Animal
www.pensataanimal.net

Veganos.org
www.veganos.org.br

Vegan Society NSW
www.vegansocietynsw.com