segunda-feira, novembro 30, 2015

A mentira e crueldade por trás do leite

 
 
 
O leite animal não vem de vacas felizes e bem tratadas,como a propaganda mostra. Ele é fruto da exploração de seres inocentes. Resultado de uma vida de encarceramento, escravidão, tortura e sofrimento de animais sensíveis que nasceram para ser livres.

quarta-feira, novembro 25, 2015

consciência do silêncio



23 de novembro de 2015. Jardim Canadá.
Meu tio morreu
À priori, ou seja, antes do fato.

Título - Vem mãe

Abre-se a porta do meu quarto. Terça-feira sete horas da manhã.
O que era pra ser le premier bonheur du jour, a primeira alegria do dia, pássaros cantando, sol raiando... A porta abre-se e o que vejo é o rosto aflito da minha mãe que entra rapidamente e senta-se na minha cama. Durante o breve percurso ela diz e continua.
__ Tio Gil morreu. Ele estava se sentindo abandonado. Fez greve de fome. Eu queria tanto ter ido lá visitá-lo. Eu ajudei a criar. Meu Deus! Eu e a mamãe...
__ Calma mãe, calma - digo, ainda assustado, ainda surpreso, ainda dormindo.
Ela sai.
__ Preciso ligar pra...
Encosto novamente a cabeça no travesseiro. Meu Deus! - repito em pensamento. Início de um dia de reflexão. Meu Deus! - digo, reverbero novamente, daí dou-me conta que essa nem chega a ser uma expressão, senão uma tentativa de comunhão com o universo.
Esse tio tem uma história cheia de nuances que...  Bem, interessa contar a vida dele? Vocês gostam della comedia de la vida humana, não é mesmo? Gostamos, sim, pois a vida é espelho e enigma. Pois bem. Ele é fruto da relação entre meu tio mais velho e a mocinha que trabalhava na casa de meus avós. Meu tio bebia e numa dessas capotou o carro, morreu e levou consigo mais alguns passageiros. A mocinha, que era mais velha, por conta de sabe-se lá, tornou-se meretriz. Já o pequeno rebento, num ato de bondade, foi adotado em condições calamitosas. Tinha contraído paralisia infantil e apresentava um quadro grave de disenteria.

continua...

sexta-feira, novembro 13, 2015

Lúcifer na Floresta

Então Dante decide seguir Virgílio que o guia e protege por toda a longa jornada através dos nove círculos do inferno, mostrando-lhe onde são expurgados os diferentes pecados, o sofrimento dos condenados, os rios infernais, suas cidades, monstros e demônios, até chegar ao centro da terra, onde vive Lúcifer. Passando por Lúcifer, conseguem escapar do inferno por um caminho subterrâneo que leva ao outro lado da terra, e assim voltar a ver o céu e as estrelas.


crack qual a onda que dá… pra onde vai a razão… o que importa meta nóia meta física cara metade feito barata tem ideia…
.
.
sublima - rasteja transcende - escorrega liberta - atravessa
.
.

gozo re compensa re entrante longo curso curto circuito re voltado re tornado sem ter na mente sabe ser eterno etéreo

instante infinito crê que seja acabável ao fim ao cabo sem tempo nem espaço…
.
.

pega uma muda troca surda aconselha re concilia com o real… acontece a revelia …crash… consciência pifa pífa pífanos Schopenhauer Niet clama ideia in consciente out energia vital tal gia gira gera potência elevada a enésimas
.

P. L.

sexta-feira, novembro 06, 2015

desfaçatez






Dá-me um segundo. Diga-me, quando chegará o momento oportuno? Aquele momento exato, em que nos meus olhos vão redescobrir o mundo e talvez mude minha apatia diante de tudo. Os tambores, o contrabaixo do jazz, o banzo, um gueto de blues norte-americano, grito de guerra em África - meus dedos, minha boca, barba. Meus pensamentos, enfim... Quando me olho no espelho, nos olhos, não sou mais o mesmo. O homem diante da vida. Menino, criança. Homem velho. Coisa sem sinônimo.  carente que espera sem dormir um vampiro que venha no meio da noite dar-lhe um abraço. Abraçar e ser abraçado sãos dois atos muito diferentes. Quase como atacar e ser atacado. Nem Eu vejo-me mais, senão de viés vez em quando, quando Rosa Passo meus passos diante das paredes e o reflexo pouco do mastigar dos olhos surpreende-me  com a urbana despretensiosa cena. Assim recomeço através desse outro “eu” que não viu passar, nascer, surgir e desaparecer na cena assim do nada. Apenas surgiu “do nada”, como o passar do tempo de tudo do Todo, tal como esqueço uma pessoa e me reparo flagrantemente nada existe mais via real e dói, mas não vejo. E novamente atravesso através do espelho. Eu garrulante, chilreiro, esparolado, louco, loquaz, incongelável irreprimível, irrespirável, incorruptível, imperdoável