terça-feira, fevereiro 16, 2016

uma vez aqui...





É... infelizmente foi embora. Nada não... É que eu tava aqui pensando, aliás, não, deixa pra lá. Depois, outra hora eu te conto. Vixe... eu não ligo mais pra tanta coisa. Ligo pra mim mesmo e, graças ao que se passa ao redor, tenho tido paz. Sim. Acho que há alguns meses atrás eu estava errado. Aqui encontrei um pouco de paz. Paz de espírito, paz na crise. A paz que eu chamava de "tédio". Afastei-me do convívio social, mas não por motivos torpes, não por usar entorpecentes...
 talvez por estar entorpecido. A voz não rompe o silêncio porquanto quem ouve "a voz" não lhe atribui sentido. Claro, não há sentido no que não existe, ou existe apenas de modo subjetivo. O caso é que nada do que eu previ deu certo. Digamos que eu acertei a média e o Grande Criador Universal ainda não me saudou com seu sorriso intergalático. Eu sou o dono do universo. Isso é de Fausto, não é? A coisa de enganar o diabo...

Nenhum comentário: