quarta-feira, abril 13, 2016

Você e seus sonhos atrozes de deserto

Quarta-feira, 05 de maio de 2010

nada(s) do nomadismo


Um Nada nº 1.
Toma, pode levar o resto de mim. Pode ser "mais uma personagem efêmera da minha trama" - como você disse. Pode levar as lembranças os sonhos adiante, sempre reservados em algum lugar do passado. E assim passamos pela vida. Palavras foram únicas... esse “estar-se em si” assim, contente a contento. Viver mais e muito. Chamar de único o fio efêmero de qualquer ligamento. Um beijo não resolve minha vida sentimental, tanta loucura e tanto contrassenso. Mas esse fio nunca foi efêmero e por isso, nunca explicou a curvatura certa que me levaria a algum lugar. Você e sonhos atrozes de deserto, no presente e no futuro, assim como se passa a vida de alguém. Um futuro tão deserto que você não pode esconder. Não, depois de todos os tempos sinto que não fui nada feliz. Uma visita indesejada, um apego malquisto. Na prática, eu me senti um lixo e eu estou cansado pra dizer que sofri qualquer coisa. Arquive os momentos de ódio, raiva e mil “desculpas” - por essa palavra que eu nunca quis dizer. Agora você resolve isso.

Nenhum comentário: