segunda-feira, fevereiro 13, 2017

à primeira vista

Foto Gabriel Chaim

Quando comecei a ler guardo uma lembrança. Claro, eu ainda era criança, sentado no banco de trás do carro, subindo a Av. Cristovão Colombo no sentido da Praça da Liberdade. Era noite. Não lembro o que dizia, qual era a palavra, mas guardo o vago registro dessa cena. Com certeza eu lia muitas palavas que a rua me ofertava. Por falar em Colombo, imagino o que os índios pensaram quando ele pos o primeiro pé na praia "Ó caralho! Fomos desdobertos!"
Eu nunca fui bom em decorar o nome das pessoas e letras de música. Falo inglês, mas prefiro não cantar, mesmo conhecendo a letra. É uma falta de coordenação rítmica, acho. Prefiro achar isso do que uma disfunção neurologica qualquer. Bem, quanto a nomes pessoais próprios eu confundo Renato com Marcelo. E, às vezes, chamo Renato de Fernado. Mas eu acho mesmo que alguns Marcelos tem cara de Vitor, por isso eu nunca chamo ninguém pelo nome antes de ter certeza.


...

Nenhum comentário: