terça-feira, fevereiro 07, 2017

Corpo e alma



Ela me disse "Você só quer o meu corpo!". Eu lembrei que pela segunda vez estava ouvindo aquilo. Naquele momento, minha coluna gelou, e como uma folha seca eu amadureci, e naquele momento "você só quer o meu corpo!" entrou para o rol das "desculpas-femininas-para-fim-de-relação". Paradoxalmente, dessa vez eu tinha convicção de que ela estava errada. Como separar o corpo da alma? Body and soul. Tanto amor eu sentia. Tanto amor eu sentia por ela, que cego mergulhei nas profundezas mais sublimes de mim mesmo, além do humano. Só para travar uma batalha insólita que levaria à nada. De volta à Nada, ou, ao Nada, descobri um grande deserto que levaria ao mar... A brisa da manhã traz o gosto o mar. Atravessar o deserto e de repente...
ter em minhas mãos
o peso da palavra
de algo inexistente

Nenhum comentário: