sábado, abril 08, 2017

nas principais




Sabe que eu nem sei se posso mais transformar minha própria vida. Tenho evitado escrever, pois tenho encontrado fraturas e traumas gravados na lembrança de um passado distante. Prefiro evitar lembrá-los. Contudo, em dias como os que passei essa semana, é inevitável não rememorar. Parece que a jornada tem sido um jogo de sorte e azar. O peso da palavra uma noite flutuou pelo céu iluminado. Eu senti, mas apenas. Um ar gelado da madrugada e repente, ficou mais pesado quando esquentou outra vez o dia nasceu. Queria alguém pra conversar, talvez além eu também gostasse de deitar na grama do jardim, olhar pro céu a lua as estrelas. Sem poesia, sentimento nem drama. Sem tantas coisas. Delinear curvas, explicar linhas retas, rivalizar, fugir ou ser ninguém ser. Dormir com sono e sonhos de um futuro qualquer. Triste viver ao lado de quem não sonha. Para quem tudo já foi. O instante presente é imutável. E o futuro, o vir-a-ser, nada será. Sonhar com uma mulher que seja a mulher de um sonho… Há tanto tempo tento ser feliz. Carrego no rosto um sorriso tolo.

Nenhum comentário: