sexta-feira, julho 13, 2018


Hoje só uma estrela


Da janela do quarto dá pra ver umas estrelas. Por ser mudo como agora também não precise de orelhas. Por um segundo eu achei que ritmo do jazz me bastaria. Mas não... a vida cobrando nota por nota. Todas as noites foram em vão. E os dias também foram. Foram escorregando pelas mãos, entre os dedos. Ai se eu soubesse como seria, cada moeda teria guardado. Teria poupado muita pinga. A grande cachaça mítica. Ela brilhava como uma estrela. Mas será que eu não via? Havia tempo que nada brilhava tão intensamente. Deve ter sido por isso. Pensava no paraíso, mas isso é passado. Não vivo lá. Só no meu coração.
Segue adiante >

Nenhum comentário: