quinta-feira, maio 05, 2011

rascunho Elementais da natureza






Pequeno orvalho de outono na tarde de sol que se vai, noite que se avizinha. Pequeninas gotas abençoando a terra percorrem as folhas deixando-as cair do topo das árvores. As gotas silenciosas vagueiam ao sabor do vento. Às vezes vejo estrelas, conforme o céu se afigura em certo momento do ano. Devo ser estar disposto em bom equilíbrio em qualquer lugar que esteja. Estiva limitado à publicar essas palavras numa caixinha que pula. O que mais posso para comunicar-me? Como o grande Adeus que se revela fechando um ciclo de histórias de resgate, indulgências ignomínias e perdão. O “ciclo” vai se acomodando naturalmente, deleuzianamente, rizomaticamente em sincronia com o seu próprio tempo. A aurora pertinaz não conhece as sombras. Verdadeiros ciclos incognoscíveis vencem a matéria, vergastando o corpo, porém, dilatando na alma um grande sentimento de remissão.

Nenhum comentário: