terça-feira, abril 29, 2008


Senhor,

Alivia a minha alma,
faze com que eu sinta que a Tua mão está dada a minha,
faze com que eu sinta que a morte não existe
porque na verdade já estamos na eternidade,
faze com que eu sinta que amar é não morrer,
que a entrega de si mesmo não significa a morte e sim a vida,
faze com que eu não Te indague demais,
porque a resposta seria tão misteriosa quanto a pergunta,
faze com que eu receba o mundo sem medo,
pois para esse mundo incompreensível nós fomos criados e
nós mesmos também incompreensíveis,
então é que há uma conexão entre esse mistério do mundo e o nosso,
mas essa conexão não é clara para nós enquanto quisermos entendê-la,
abençoa-me para que eu viva com alegria o pão que como,
o sono que durmo,
faze com que eu tenha caridade e paciência comigo mesmo,
Amém.

(Clarisse Lispector - O livro dos prazeres)

2 comentários:

Anônimo disse...

vc não tem o direito de usar essa oração, pq vc não entende o real significado dela, não a vive em todos os aspectos, e realmente não deseja tudo aquilo q é pedido nela...

Anônimo disse...

E você não tem o direito de julgar.
Por favor, só se pronuncie quando me houver perdoado.
Se quiser, enumero o que se sente quando se tem zero de capital para desbravar o mundo.
Aceite com alegria e amarre-se ao que lhe foi dado como trabalho. Pois se entrei em desespero, das ist mein Tagenbuch.