quinta-feira, agosto 28, 2008

Jun Takahashi

A busca por ser diferente. A sociedade industrial nos empurra, através dos meios de comunicação a desejar as coisas padronizadas. Anestesiadamente seguimos como ovelhas àqueles que estão no comando do pastoreio, seja criando, produzindo ou difundindo. A vontade de ser diferente, como antes da indústria criar e propagar o produto industrializado, impondo essa massificação. A necessidade do homem de ser diferente daquilo que o sufoca. Algo que há milhares de anos se forjava com as próprias mãos. Perdeu-se com o advento do arco e flecha que seria uma metralhadora hoje, atirando flechas em seqüências. Perderam-se armas unicamente forjadas, armas atiradas quando o animal não era abatido. Isso lembra que travamos uma verdadeira (guardado o sentido relativo de verdade) para sermos diferentes, supondo que já não o somos. A cultura da pós-modernidade é que nos impulsiona pra algum lugar que não sabemos ainda onde estamos indo. Os grupos de criação simpatizam com o estudo assim como com a diversão e a arte. a industria que em seus primórdios desdenhou a arte e a ciência racionalizando a fábrica, agora vê-se curvada a elas. Como diz o slogan contraditoriamente “nada substitui o talento”.
>¨<

17 comentários:

thiago leão disse...

opa..como está?
sim me interesso em participar da mostra, mas seria como com minha marca? com meus textos?

mande mais informações para meu e-mail: trleao@gmail.com

abração
até

roserouge disse...

Olha esta, ó papagaio:
"Fica esta noite e este dia comigo e será tua a origem de todos os poemas"

Walt Whitman

Linda, não?

Bruno disse...

Saudades...

Papagaio Mudo disse...

bruno?

>¨<

liberté disse...

sinceramente, acho que existe um grande poder na modernidade que é açao em grupo, uma das mais difíceis atividade na forma criativa a uniao de idéias aleatórias para a criação de uma ideias mestra. Neste mundo competitivo, isto se torna sábio para aquele que se abstem do nome próprio e se doa á uma marca e um objetivo alémde si mesmo.
Isto sim é um talento!

o vívdeo é bastante dinamico e a música foi a de perfeita escolha, sempre achei o cinema a sétima arte!

T.

Papagaio Mudo disse...

o cinema pode ser considerado arte, mas uma arte menor, assim como a dança.

G.

Danitza disse...

Ainda bem que um ou dois saem da fila e transformam as diferenças em algo verdadeiro.
Adoro este blog, é o mais surreal de todos. E ao mesmo tempo cheio de realidades.

liberté disse...

estranho se levado em conta a dedicaçao da equipe em cada uma delas seria genial a elevaçao à uma arte completa.
entre tanto...

T.

roserouge disse...

Du spinst!

Papagaio Mudo disse...

Ja, gestern war ich gefinden, verukt.
Spint du! auch, roserouge.
Küsses,

>¨<

Carlos Alberto disse...

Gostei do blog, mas nao vou deixar (ainda) um comentário sobre o texto. To sem aúdio aqui, e nao dá para escutar o som do vídeo..
abraços!
Carlaãão

Papagaio Mudo disse...

valeu a visita Carlão!

Plí disse...

ser igual, usar uniforme pertencer a massa, é angustiante demais.

Plí disse...

relógio marcando os segundos é angustiante tb.

Patrícia disse...

daqui pra frente quem não ousar, não criar e não acreditar no próprio talento e na sua identidade não será ninguém. também tô lendo O "cio" criativo, rarara

Lucas dos Anjos disse...

de visita

Papagaio Mudo disse...

Fica à vontade Lucas

>¨<