segunda-feira, dezembro 29, 2008

pas de deux

Lecuona - Grupo Corpo

Eu não te vi passar
mas agora você está distante
eu estou distante
na ilusão de Tempo e no Espaço

sinto falta muito embora
falta de qualquer coisa desordenada
falta sentir seu alarde
depois de te esperar toda tarde

falta de você
e da metade que levou quando partiu
mas como membro que se regenera
outro a ser o que era

>¨<

7 comentários:

Menina do mar disse...

«A casa da saudade chama-se memória: é uma cabana pequenina a um canto do coração.» (Henrique Maximiliano Coelho Neto - Romancista e contista brasileiro - 1864/ 1934)

Papagaio Mudo disse...

Uhm..
interessante
uma cabana pequenina..

Quem é esse ilustre desconhecido?
aliás, para mim é dificíl deglutir o Machado de Assis e Eça de Queiroz, vale a prosa poética de Rimbaud? valem os alguns livros apenas, de alguns romancistas russos e franceses, sem desprezar a literatura alemã, Hesse.. Schiller..? Willem und Tell.
Se assim o for,
Da ich Kann

Küsse

Gus

Papagaio Mudo disse...

menina do mar,
não quis ofender...
é que não suporto mesmo literatura brasileira e portuguesa.
que tal Mia Couto?
Beijos,

>¨<

Menina do mar disse...

Adoro!

Papagaio Mudo disse...

ótimo!
Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra
você já leu?

história de um rapaz que, depois de anos de ausência, volta à ilha de Luar-do-Chão. Saga familiar, seguindo forçosas tradições, e retrato do conflito de Africa moderna e pré-colonial. Vale um olhar antropológico.

também,

Nos Cus de Judas
do António Lobo Antunes

Papagaio Mudo disse...

esse último, um português gaboso e, diga-se de passagem, fenomenal!

Menina do mar disse...

Uma dica: « arquipélago da insónia» é o último dele (Lobo Antunes)ofereceram-me pelo natal...
Vale a pena ler!