domingo, setembro 18, 2016

sem perspectivas



Acordo assombrado com mais um dia neutro. Eles tem sido vários e eu tenho apenas resistido. Ontem eu dormi durante a tarde. Ontem depois do almoço meu padrinho veio, sem avisar, levar meu tio. Ele foi embora, não me pergunte pra quê ou por quê. Sei que agora somos nós três outra vez. Eu, minha mãe e meu pai. Ontem foi o casamento do meu sobrinho. Minha mãe arrumou carona, meu pai voltou sozinho. Ficamos os dois juntos. Eu fiquei puto. Queria ter ido, mas quando acordei eles já estavam prontos. Sabotagem? Talvez tenha sido. Como eremita digo que foi até bom, pois é bom evitar o contato com muitas pessoas em um mesmo local. Da mesma forma, raras são as chances que aparecem. Ficar em silêncio diante do silêncio, como hoje, não é difícil. Eu e meu pai lidamos bem com isso. Minha mãe descansou o dia todo. O pior de tudo é que ninguém vai ouvir esse grito. O pior é que ainda de longe me sufoca o que ficou por ser dito. E talvez por isso eu me sinta incompreendido, garoto.

2 comentários:

francisca aparecida lopes bello disse...

Amo voce,papagaio mudo,continua com o bico calado,mas respeito seu silencio,saudade eh muita,te amo desde o primeiro dia. quando voce me convidou para o poema da madrugada.s eu blog sempre lindo,texto e imagem. Escafandro,linda foto,texto perfeito,diario de voce,bjo

francisca aparecida lopes bello disse...

Amo voce,papagaio mudo,continua com o bico calado,mas respeito seu silencio,saudade eh muita,te amo desde o primeiro dia. quando voce me convidou para o poema da madrugada.s eu blog sempre lindo,texto e imagem. Escafandro,linda foto,texto perfeito,diario de voce,bjo