terça-feira, abril 01, 2008

Anima

John Coltrane



Quando Deus (ou a Natureza) criou todas as coisas, os homens e as mulheres e lhes deu intelecto professou sua maior piada. Alguns não entendem essa piada divida ou fingem não entender, ou até mesmo apelam para um grau de racionalidade intransitiva, ossificada. Mas quando aqueles que acreditam nessa racionalidade materialista se vêm diante do abismo que separa a Razão do Amor, recuam. Ou seguem sofismando. Quando se encara o abismo por muito tempo ele te olha te volta. Retorna a mim sempre essa questão. Construindo pontes eufemísticas e nem sempre do outro lado dessa razão mascarada estão o Equilíbrio e a Temperança. Os vícios e as manias são compatíveis ou não em diferentes momentos do dia. Eu me divertia ao seu lado. Quando íamos juntos a qualquer lugar um orgulho imenso que sentia, com o passar das horas e dos dias. Gostei de te ver como um retrato, quase um sonho acordado, mas isso não te importa nem te comove so what? Vou dormir quando o dia acordar e morrer no sonho ou acordar para a realidade que se dispõe adiante, sem previsão, sem hora sem companheira, sem amor. Afastado o cenário dantesco que criei para mim mesmo, quando estive doente e sem forças. Livrei-me da doença e hoje estou vivendo uma seqüência de palavras, conduzindo verbos, declamando frases de um personagem shakespeariano. Dia após dia eu me despeço dessa ilusão de amor. Cruzando as ruas, no ônibus, no supermercado. Entrei na fase de te ver em outras pessoas, em todo canto e até em lugares improváveis. O fogo é sempre o mesmo se nada que faço me fascina. Por todos os lados que olho não vejo inspiração. Busco uma luz, um caminho por onde andar. Talvez uma chama de inspiração, ígnea flama flui em eflúvios.

5 comentários:

Anônimo disse...

parece q vc começou a descer a ladeira...
não gosto disso... apesar disso também ter sua beleza...
bitte, sei nicht so traurig
baccio

Cassiane Schmidt disse...

Olá, me surprende sempre esse amor que encontro por cá!

Abraços

Katze disse...

Ich bin nicht so traurig,
ich bin verwirrt.
liebes du mir?

?
>¨<

Cris Moreno disse...

Quero a tradução! Agora!

Aquele "du mir" é o que estou pensando? Assim não vale! Você está muito assanhado para o meu gosto!

rsrs

<">

Cris Moreno disse...

Ei Gustavo, cadê a janela pop-up?

Faça isso, porque podemos ler, ouvir a música e ainda colocar o comentário pra você ao mesmo tempo!

Beijinhos.

<">