sexta-feira, maio 22, 2009

anestesia geral

Para Kant, autonomia é agir de tal maneira que se essa maneira se tornar universal, todo mundo sobreviverá, ou seja, é considerar a implicação que essa ação teria para a sociedade se fosse universalizada. Deriva do imperativo categórico: está presente tanto o interesse do individual quanto o da coletividade.

Algumas considerações sobre a Indústria Cultural

  • Classificação e padronização dos consumidores através das distinções – rótulos.
  • Extermina o que é particular e nega a particularização, seja a composição, a estética, a arquitetura.
  • Só admite a liberdade do sempre igual.
  • A previsibilidade da arte produzida denuncia uma completa ausência de fantasia, de imaginação, de atividade mental que são atrofiados, desvirtuados, paralisados.
  • Nega a essência, pois só há essência na diferença.

    Alguns links sobre o tema a Indústria Cultural & o senhor
    Theodor Ludwig Wiesengrund-Adorno ...
    ciência limpa [o nome do site é pretensioso, mas o artigo é bom]
    wiki.educaris

4 comentários:

Alice Salles disse...

adorno é THE FUCKING MAN.

cirandeira disse...

Infelizmente,não é só a indústria cultural que uniformiza,que liquidifica e joga no ralo!As pessoas, a sociedade como um todo,já está toda padronizada, está
sempre com o dedo em riste,"J'accuse" a todos que tentam ser diferentes!
É preciso ter força, é preciso muita coragem...!

Ana R. disse...

Só dançando enquanto o circo pega fogo...

Papagaio Mudo disse...

Adorno pancrêas...


ass.
palhaço-ladrão-de-mulher