quinta-feira, janeiro 27, 2011

as horas que se foram



Tem hora que você respira fundo, pensa, conta até três e os olhos se enchem d’água. Sem medo encaro a multidão, sorrindo. Eu aqui, cheio de pontos. Você aí, cheia de vírgulas. Eu não podia dormir, mas continuei tentando. Quando não pude mais dormir, aprendi a escrever. Na aurora dos tempos é chegada a hora do entardecer das tristezas. Um abraço delicado no plexo. Meu peito às vezes dá umas fisgadas. Observo meu corpo diante do espelho. Por uma fração de segundo vi outro Eu. A carne costurada feito couro de vaca. Você cuida de mim, passa pomada sobre os cortes, coloca as gazes, passa o esparadrapo, sem esquecer-se da estética. A arte é linear. A linha é curva. O vento leve passa por mim. Passarinho pousa em frente à janela. Não tenho certeza de possuir (tirânico, possuir). As multidões querem alguém qualquer pra crucificar. O eterno sábado de aleluia. O dia de encher o Judas de porrada e depois tacar fogo. Já se passaram dois mil anos! vamos lá meu Deus – implora com violência o Teu rebanho. Não sou digno de correr, fico e me pegam. Pensava você não declinaria o meu convite. Então, fico e mais uma vez, mais mil vezes. Hoje tenho os olhos pisados de cansaço. Eu gozaria e dormiria em teus braços você nos meus braços, até sair sem eu saber. Morreremos jovens para sempre. Desculpa essas lágrimas que brotam do nada. O que quer que me possua, ignore. Você me possui mais. Eu sou o vento. Desculpa se te faço gemer e mesmo assim sou passível de profunda averiguação. Lembro que eu nunca existi que eu nunca fui, portanto nunca jamais o era. Estou apenas, na impermanência de todas as coisas. Na língua dos poetas, no bisturi dos estetas e na poeira dos anos e das letras. Sexo café jazz. Deslizo no céu como um sonho. Lambo seu umbigo e ainda discuto contigo sem querer que esse sonho se acabe. Quero tragar a fundo esse Você simbólico e um milhão de sonhos se torna realidade. Não se perca de mim. Sou mais um Ouriço do jogo de croqué da Rainha do País das Maravilhas.


Vem, minha criança.