quinta-feira, março 10, 2011

Cogito

...

eu sou como eu sou
pronome
pessoal intransferível
do homem que iniciei
na medida do impossível
...
eu sou como eu sou
agora
sem grandes segredos dantes
sem novos secretos dentes
nesta hora
...

eu sou como eu sou
presente
desferrolhado indecente
feito um pedaço de mim
...
eu sou como eu sou
vidente
e vivo tranquilamente
todas as horas do fim.

...


Torquato Pereira de Araújo Neto

4 comentários:

Papagaio Mudo disse...

"Escute, meu chapa: um poeta não se faz com versos. É o risco, é estar sempre a perigo sem medo, é inventar o perigo e estar sempre recriando dificuldades pelo menos maiores, é destruir a linguagem e explodir com ela (…). Quem não se arrisca não pode berrar."

Torquato Neto

Papagaio Mudo disse...

O anarquismo ao alcance de todos


1945

Oiticica

mariana disse...

"bundinha de nada"

Papagaio Mudo disse...

desconheço...