terça-feira, março 22, 2011

Florbela Spanca

Eu queria mais altas as estrelas

Mais largo o espaço, o sol mais criador,

Mais refulgente a lua, o mar maior,

Mais cavadas as ondas e mais belas.

. . .

Mais amplas, mais rasgadas as janelas

Das almas, mais rosais a abrir em flor,

Mais Montanhas, mais asas de condor,

Mais sangue sobre a cruz das caravelas!

. . .

E abrir os braços e viver a vida

-Quanto mais funda a lúgubre descida,

Mais alta é a ladeira que não cansa!

. . .

E, acabada a tarefa…, em paz, contente,

Um dia adormecer serenamente

Como dorme no berço uma criança!

6 comentários:

Sofia A. disse...

Ai, a Florbela... Sempre tomo um susto quando me leio nas palavras dela.
Me identifico tanto com tudo por aqui...
Dessa vez te peço eu em casamento, pode ser?
um beijo!

Denise Scaramai disse...

Gustavo,
ótimo blog!
interessante e de bom gosto,
como este soneto de Florbela!

saudações,
Denise

Caiocito disse...

hi master gusta

estou lhe enviando um certificado

hasta

http://dublesdepoeta.blogspot.com/2011/03/o-melhor-da-linguagem-e-criacao-do.html

Caiocito disse...

hi master gusta

estou lhe enviando um certificado

hasta

http://dublesdepoeta.blogspot.com/2011/03/o-melhor-da-linguagem-e-criacao-do.html

Caiocito disse...

hi master gusta

estou lhe enviando um certificado

hasta

http://dublesdepoeta.blogspot.com/2011/03/o-melhor-da-linguagem-e-criacao-do.html

Papagaio Mudo disse...

wow!

só o "envio" já é quase um certificado.

hasta el comment,

G.