quinta-feira, junho 23, 2011

Como te chamarei?
aquele que saiu do abismo



Na tarde calma da eternidade
enquanto eras vida e fogo em expansão
eu vivia em tua mente



Tu me acariciavas como um sonho
e tinhas meu nome escrito na palma da mão
e eu não merecia



Mas tu me amavas sem um porquê
com os olhos vendados
na noite da minha solidão

Um comentário:

Caiocito disse...

como uma lágrima, como uma síntese.