terça-feira, fevereiro 26, 2013

pu.bli.sh it



E você continuava ali parada, completando todos os espaços. Devassa como a noite. Calma, limitava meus movimentos ao medo e desejo, ao mesmo tempo. Eis que a hora continua e o tempo esfria. “Hoje de madrugada, amanhã não vai ser nada.”

Um comentário:

Gustavo Alvarez disse...

adoro rosa...