sexta-feira, janeiro 03, 2014

PROCURA-SE EMPREENDEDORES

Mas quando acham, fazer o quê com os ornitorrincos?
 Carla Ramos*


Atualmente, um anúncio comum na Internet em sites de empregos: “Procuramos empreendedores”. 
Mas o que será que realmente se procuram?
Os Empreendedores (os que são assim)? Ou os que são excelentes teóricos (que discursam) sobre empreendedorismo?
Primeiramente, proponho entender como funciona, internamente, esse bicho raro – o Individuo Empreendedor para saber se as empresas, que tanto o procuram, estão prontas e dispostas a incorporar pessoas com sede de mudança em seus estáticos quadros de colaboradores.
Somos Seres Bio-Psico-Socio-Culturais, até que se prove o contrário.
Portanto, para fazer jus a essa ampla denominação das dimensões atribuídas a nós, como pertencentes à espécie de Seres Humanos, faz-se necessário escutar a nossa “demanda” interna e promover o “atendimento” adequado às necessidades, como um todo.
Cada dimensão: Bio-Psico-Sócio-Cultural possui suas respectivas necessidades a serem saciadas em nossa vida. Porém, neste artigo, vou enfatizar a Necessidade que sempre existiu em nós e que faz do individuo: um Empreendedor.
Parece ironia o que tempos atrás era visto como defeito no indivíduo, atualmente possui um nome e até é solicitado em anúncios de empregos, como qualidade e requisito básico exigido ao indivíduo: ser empreendedor.

Daí, em entrevistas de emprego o ser empreendedor sempre escuta: “Gostamos do seu currículo, mas não sabemos como o encaixar em nossos setores. Talvez, com tantas competências pessoais, já pensou em abrir uma consultoria própria?”

É exatamente aí que enfatizo a diferença entre o excelente teórico e o indivíduo empreendedor. Enquanto o primeiro pensa, calcula e discursa sobre quando deverá ser realizada uma ação empreendedora, o segundo a está realizando a todo o momento, por suas necessidades naturais e culturais, sem nem saber que existe um nome mais contemporâneo para isso. Continua sentindo, agindo e realizando...

QUESTIONO: SERÁ QUE ESTA PROCURA PELO INDIVÍDUO EMPREENDEDOR: PRÓ-ATIVO, CRIATIVO E MULTIFUNCIONAL ESTÁ APENAS NO DISCURSO DA EMPRESA? QUANTO TEMPO MAIS IRÁ OCORRER ESSA INCOERÊNCIA DO DISCURSO COM A PRÁTICA REAL?

E quando o empreendedor atende a demanda do anuncio e consegue ultrapassar a barreira da entrevista, o seu chefe não sabe o que fazer com esse animal tão raro, talvez colocá-lo na gaiola para que os outros o observem? Acredito que o indivíduo empreendedor prefira mais o meio aquoso com liberdade para nadar - tal como um Ornitorrinco.
Esse animal, o Ornitorrinco, ilustra essa incoerência que quero expor, pois ele é, realmente, um enigma da natureza: corpo de castor, patas de rã, rabo de rato, bico de pato e ainda por cima com dentes de leite. Apesar dos pesares ele existe com certeza e tem sua identidade própria sob qualquer suspeita. 
A Natureza é perfeita. Então, porque duvidar disso? Provavelmente, ela tinha um propósito, com a criação do Ornitorrinco, que foge à nossa lógica linear. 
A Natureza é uma Empreendedora, sem dúvida, bem criativa, pois dispôs da circularidade em sua criação. Permitiu que houvesse um ser vivo que para ser um exímio escavador deu-lhe corpo de castor; para melhor fixação à terra deu-lhe patas de rã; para uma rápida movimentação: o rabo de rato seria de bom tom, e, finalmente, para se alimentar deu-lhe bico de pato com dentes de leite. E com tudo isso ele pode nadar ainda e por ovos. Perfeito! Pronto: Assim se fez o Ornitorrinco!
Só que há um detalhe, um segredinho: só nós sabemos, por comparação às referencias conhecidas, que ele é feito de várias partes de outros animais, mas ele nem sonha com essa remota possibilidade de sua existência. E porque ser estraga prazeres? Contar isso a ele não o levaria a nada, só contribuiria para uma profunda crise de identidade. 

Questiono: SERÁ QUE A EMPRESA, HOJE, ESTÁ PRONTA PARA ATENDER ÀS NECESSIDADES DESSE ANIMAL RARO QUE PARECE ALMEJAR TANTO E DEMANDA, INCESSANTEMENTE, EM SEUS ANÚNCIOS: O INDIVÍDUO EMPREENDEDOR?

Ou sua empresa ainda está na época de perguntar a um ORNITORRINCO numa entrevista de emprego:


- QUAL É O SEU PROPÓSITO DE TRABALHO?

Possivelmente, a entrevistadora treinada em recrutamento e seleção, agiria assim:- Veja bem, Sr. Ornitorrinco com seu corpo de castor o Sr. poderá integrar nosso setor de escavações. Mas suas patas de rã são valiosas ao nosso setor de fixação na terra. Porém será de grande contribuição o seu rabo no nosso setor de pesquisas sobre rapidez nos movimentos e sem falar no seu bico com dentes de leite que é perfeito ao nosso setor de degustação de alimentos sólidos para crianças em tenra idade.
Mas afinal, Sr. Ornitorrinco: QUER SER CASTOR, OU RÃ, OU RATO, OU PATO? Diante da indecisão e perplexidade do pobre bicho que nunca se viu esquartejado desse jeito, e muito menos sabia que suas partes tinham nomes e pertenciam a outros animais.
Após qualquer resposta ansiosa do entrevistado, segue-se o sorriso amarelo da entrevistadora:- Bem, gostamos do seu currículo Sr. Ornitorrinco, mas não sabemos como encaixá-lo em um de nossos departamentos. O Sr. possui todos os requisitos almejados por todos os nossos setores, mas infelizmente, o Sr. não possui só alguns deles que o ajuste a um setor apenas.
Ao final do dia, o Sr. Ornitorrinco, pro-ativo, criativo e sem dúvida, multifuncional, volta cabisbaixo e frustrado à sua casa, sem nenhum emprego... Qualquer semelhança não é mera coincidência...




Carla Ramos é Psicóloga Junguiana, especialista em Marketing e Propaganda. Realiza o Programa “Saúde com Vida” em Saúde Individual e Saúde Coletiva Sustentável. É colaboradora de colunas nos sites: Mulheres Autênticas e Papagaio Mudo onde escreve sobre como o olhar simbólico da psicologia analítica pode contribuir para o entendimento da roda viva contemporânea diária.





Nenhum comentário: