terça-feira, janeiro 15, 2008

Acariação verbal

Tantra Yoga Intelectual
Masturbation

1. Como eu devo te chamar sendo q você cada hora assina de um jeito?
>¨<
Sei lá, me chame como quiser. Menos pelo meu nome, por favor.

2. Okay. Você sempre assina Katze e no início Weisse Katze, o que significa Gato Branco. Existe alguma conotação de puritanismo de raça?

Não. De forma alguma. Um amigo já comentou que as pessoas acham meio anti-semita, nazista, sei lá. Não tenho nenhuma ligação com esse bando de idiotas pseudo-higienistas-radicais. Mas também não gosto de animal de estimação e nem gosto de gato. Não tenho nenhuma predileção por branco, malhado ou vira-lata.

3. Alguma relação com os felinos?

Relação não. Talvez seja pretensão. Qnd alguém te pergunta q bicho vc gostaria de ser a gente sempre responde: um tigre, uma borboleta, uma águia... Alguma coisa cheia de simbolismo.
Gato branco? é tipo “bom cabrito num berra” . Dá pra imaginar, gato é um bicho safado, mas branco é vazio, é possibilidade, onde tudo se projeta, surge.
(!)

4. Katze, assim vou te chamar, ok? O que você está fazendo nesse momento da sua vida? O que está criando?

Bem, tenho escrito um pouco aqui e ali e nada mais. Tenho coisas mais íntimas guardadas q eu não publico no blog. Afinal de onde eles pensam q sai a literatura?

5. Katze, como vai o mundo hoje, na sua perspectiva?

Um verdadeiro caos. Mas Deleuze diz q o caos se auto-organiza, com a água mais rápida q corre no meio do rio, que não é o rio - símbolo, nem a margem do rio mas a própria corrente.
Que cresce desordenadamente todo mundo já sabe. Mas, no Brasil, o cara nasce querendo duas ou três coisas que são mais ou menos fundamentais. Pois é, o pior é que tardam a conseguir e por isso e crescem vidrados no capitalismo consumista.

6. Como anda a questão dos blogs pra você? Seus textos tem repercutido na rede?

Sabe cara, nem tudo q cai na rede é peixe. O que eu tenho visto é uma atividade maior nos blogs. As pessoas acompanhando, realmente seguindo e vendo e lendo imagens e textos. Além disso, as pessoas se comunicam com o blogueiro, dizendo o que acharam daquele Post e tal, mandam abraço de feliz ano-novo, marcam encontro. Ou seja, o blog, incluindo a temporalidade, é uma interface de comunicação social. Porém, agora reverbera no campo da retórica.

7. O que a gente ganha com essa interação? Como isso funciona?

O objeto Post (Postagem) está ali virtualmente, sujeito a alterações no texto e na imagem. Sujeito a correções, variações de tempo em q foram publicadas... Isso por que estamos falando do q considero apenas uma página rolada, onde aparece na tela da última publicação em diante, mas q não é estático.

8. Alguma consideração final sobre o assunto que você gostaria de ressaltar?

Só um alerta, embora ocasional. Se o ônibus pode ser um objeto imediato (mediador) entre Trabalho e trabalhador (enquanto objetos dinâmicos), o blog pode ser uma interface ainda pouco explorada. Ou seja, gerando sin-signos infinitos (textos, idéias, imagens, ridiculezas, bobagens, pensamentos) que serão interpretados, sentidos, vividos, de maneira a construir-criar uma nova janela desse hipertexto.

3 comentários:

Katze disse...

seja objetivo: leia o texto abaixo que vale mais a pena.

Gus

papagaio mudo disse...

O que eu posso dizer?
Se não consigo, já foi dito, ouvido, sentido, pensado, sonhado.
Sem reticências.
Gustavo

moranguinho disse...

Tá bonitinho.