quarta-feira, março 03, 2010

Burroughs


Sabe William, coisas que eu gostaria:


(sem romã no envelopinho ou mandinga tipo fim de ano, romã é nome de frutinha, Polanski. Talvez, me ocorreu agora, apenas um pedido aos orixás.) Sou guerreiro-caçador e adoro criança. Sou Nanã e Oxossi. Mas deixa baixo. Isso não se revela. “Favor esquecer”. Se é que um dia procurariam as qualidades desses dois orixás...



  • Amar sem sentir dor.
  • Não ter mais vontade de beber (álcool)
  • Não chorar as perdas (redunda em amar sem sentir dor)
  • Abraçar & (atenção no &) ser abraçado = amar e ser amado.
  • Não ter de absorver tantas nuances do ser humano para ter uma relação íntima de afeto.
  • Queria que o cigarro não me matasse.
  • Queria entender meus pais, meio juvenil, e que eles... ah foda-se...
  • Noites bem dormidas.
  • Um monitor de LCD.
  • Carinho e aconchego.
  • CDs de Jazz...
  • Ser mais certinho, menos louco.
  • Entender mais de gastronomia, culinária, alquimia fazer comidinha gostosa todo dia no restaurante. (e agradar pessoas. Conseqüência) E sendo gentil.
  • Que o PT não fosse catolissísta ou ideológico.
  • Queria um diploma de mestrado, apesar de não ser fã de academicismos. (muito pelo contrário)
  • Que fôssemos naturais. “De fino trato”
  • Que não tivéssemos tantas ambições. Veio-me uma coisa meio Francisco de Assis.
  • Um mundo mais justo? Também. (Se alguém, Socraticamente pudesse definir Justiça.
  • Queria que Deleuze tivesse vivido mais. Focault Também. Em especial, que Deleuze não tivesse morrido. Nunca.
  • A pós-modernidade é passageira. Não sabemos o que é a pós-modernidade

  • não ter sido o filho mais novo.
  • Mudar a forma de compreensão, Latu Sensu.
  • Tudo Latu Sensu, em geral, afinal.
  • Não sentir saudades que doem. Nostalgia.
  • Conhecer algum dia o Lobo Antunes, aquele escritor português, e conversar com ele.
  • Ser humilde.

  • Menos dessemelhança e iniqüidade.

6 comentários:

Felicidade Clandestina. disse...

adorei o vídeo, achei apropriadíssimo
Adoro tudo aqui na verdade! Beijos

Papagaio Mudo disse...

Felicidade,

cada dia mais tenho perdido "seguidores"

sorte, triste Bahia,
eu não ser nenhum pastor


G

Papagaio Mudo disse...

clandestino
adj.
1. Feito sem as formalidades legais, e até evitando-as.
2. Feito às escondidas.

Papagaio Mudo disse...

Nesse espaço de interface
pouquíssimos se manifestam,
mas suas presenças se manifestam

2278

blah

Nydia Bonetti disse...

Como gostei disso, Gustavo. Quereres e gostares - ai, ai... sempre tão difícil. Abçs.

Papagaio Mudo disse...

Oi Nydia,

Acho que além de fazer, aplicar no dia-a-dia efetivamente, tenho feito lista de coisas, eventuais mudanças, metas, boas intenções em termos gerais. Idealizando ou não... quem nós julgará, afinal?
Abraço. Com afeto,

Gustavo