domingo, março 28, 2010

Imagens Blake

Eu, particularmente, embriago-me na minha mesmice. Eu quero "salvar as alteraçoes". Desci pra comprar cigarros. Aflição desse povo "what is going on?". A barra da calça dobrada, ainda meio bêbado de sono. Fiz café. Agora só eu bebo casa aqui em casa. Minha mãe não. Café e cigarros. Adoro lamber ferida, mas a vida incide de forma diferente quando passa. Quando a dor apazigua e já se pode andar e mexer, e correr. E atento aos perigos do caminho. Seja ele qual for seja um tigre bonzinho. A abelha diligente não tem tempo para mesmices. Blake. Os tigres da ira são mais sábios que os cavalos da instrução. E, em ordem aleatória A raposa culpa a si mesma, não a armadilha. Aquele que sofreu tuas imposições te conhece. Alegrias fertilizam, tristezas criam. O que agora está provado foi outrora, somente imaginado.. Porém, enxergo melhor e com mais dedicação, mais afeição, mais ternura, mais apego, o primeiro provérbio Na semeadura aprender, na colheita ensinar, no inverno desfrutar. Aquele que deseja mas não age, cultiva a peste. A ação mais sublime é colocar outra na sua frente. Espera veneno da água parada. A cisterna contém, a fonte transborda.. Não sei por que lanço mão, certas horas, dos Provérbios do Inferno, como se fossem divinos. Não sei se são divinos, mas certamente são providenciais e sublimes. Uma fera, em um lugar seguro, uma caverna, lambe a ferida até se curar. Nenhum pássaro voa mais alto com as próprias asas. Como escreveu Rimbaud, É preciso ser vidente. E Blake finaliza meu texto. Mergulhe no rio aquele que gosta da àgua.
>>>
>>>>>>>>>>>>>>>>

3 comentários:

lírica disse...

Mergulhemos então!

Papagaio Mudo disse...

splash
ou

tibúm!

reintero sua proclamação:

Mergulhemos!

abç
Gust d Gosth

ps: de cabeça.

Nydia Bonetti disse...

Eu tenho medo das águas. Mergulho no ar. Que texto...

Gustavo, este teu termômetro de gatinho é meu sonho de consumo. :) Que lindo!