sábado, março 20, 2010

cut-ups

acima, capa do primeiro livro escrito pela dupla.

abaixo, introdução do livro Rizoma - obra final da parceiria Deleuze e Guattari:
........

Um rizoma não começa nem conclui, ele se encontra no meio, entre as coisas, inter-ser, intermezzo. A árvore É filiação,mas o rizoma É aliança, unicamente aliança. A árvore impõe o verbo ser, mas o rizoma tem como tecido a conjunção “e... e... e...” Há nesta conjunção força suficiente para sacudir e desenraizar o verbo ser.

Entre as coisas não designa correlação localizável que vai de uma para outra e reciprocamente, mas uma direção perpendicular, um movimento transversal que as carrega uma e outra, Um riacho sem início nem fim, que rói suas margens e adquire velocidade no meio.

Gilles Deleuze e Felix Guattari

3 comentários:

Mariana Dore disse...

Nossa... as palavras casam umas com as outras de forma perfeita por aqui...
=*

;D

Ninil Gonçalves disse...

"Ser rizomorfo é produzir hastes e filamentos que parecem raízes, ou, melhor ainda, que se conectam com elas penetrando no tronco, podendo fazê-las servir a novos e estranhos usos."

Deleuze-Guattari - Mil Platôs. Vol. 1

Papagaio Mudo disse...

Ninil,

aqui ou em lugar nenhum...