domingo, fevereiro 20, 2011

Danse sur la merde

Le petit va te faire foutre com cigarro de menta. Como é que a música sertaneja faz sucesso na Croácia? O compromisso com a vida continua. O Ritmo não pára. Tudo faz parte do Todo e o Todo faz parte de tudo. Um faniquito Rita Rayworth de rancar os cabelos da axila. Como estabelecer uma relação de duelo entre homens e mulheres? Somos párias que maquinam coitos e biscoitos. Vidas, ideais, Vidas ideais. Vai uma vem dezoito. Jamais seria juiz de direito, pois não sei arbitrar, não sei julgar. De qual lado estamos? Se os homens somos inseguros? Não sei. Não sei de que lado está “a” verdade, pois as verdades estão dentro em cada futilidade, injustiça, ignorância, desfaçatez que seja (crew) possível. Não sei o que a mente inconsciente de cada um concatena a respeito de sua realidade urbana cotidiana mundana. Sei que rompemos as barreiras da moral. O ser que somos transformou tudo em frozen shit. Inventou o mundo de plástico. Cenas perfeitas de vida nas maçãs do rosto das pobres meninas transviadas. A Barbie empregada doméstica e mãe solteira.
.

.

Nenhum comentário: