sexta-feira, novembro 04, 2011

Práticas antigas

Essas núpcias de fogo entre o céu e o momento da morte. Esse medo, essa presença, esse alguém. Esse alguém em nós e a capacidade de viver. A vida me faz querer seguir. Seguir para as frentes. Como lidar com a imagem de si mesmo? Existimos dentro de nossa cabeça, e eventualmente, fora dela. Como enterrar nossos mortos? Viveremos para sempre. Somos eternos.

5 comentários:

Letícia Alves disse...

Como seguir...
Eis a questão que nos impele a cada dia que despertamos.
Beijo!

Adriana Godoy disse...

Essas questões existenciais sempre permeiam o homem. Não sei se haverá respostas, mas a gente sempre espera alguma. Bj

Papagaio Mudo disse...

A existência precede a essência.

Papagaio Mudo disse...

Típico estoicismo belorizontino...

No estoicismo e epicurismo, retorna-se à metafísica naturalista dos pré-socráticos, bem como à moral das escolas socráticas menores, cínica e cirenaica. Depois, ceticismo e ecletismo, anula-se toda metafísica e, consequentemente, toda moral, voltando-se para a sofística, menosprezando qualquer desenvolvimento. Bj

Papagaio Mudo disse...

Oi Letícia,

Como seguir?
É só clicar lá embaixo "participar desse site". Agora chamam nossos blogs de "site". Deviria ser "participar desse BLOG", não acha?
Beijos,

Gus