segunda-feira, outubro 07, 2013

como tragar o indecifrável

como tragar o indecifrável


nunca estive disposto feito pato d circo em tiro ao alvo
feito sapo de vala na beira do alambrado,
feito palhaço fumador descalço que odeia  sapato largo,
mesmo r assim a vida segue seu rumo, fatalmente, ao mesmo tempo em vários rumos. Não importa que a vida seja mesmo essa aventura errante, que importa sentir-me vivo? preparado para surgir e emanar de encontro, porque hoje o amanhã consiste em novamente trespassado,
de onde surgem as cobras e as cobranças, a dança, a malandanza
um sapo veemente-mente descaralhado e descalço
sem vos, sem vês, sem vis-a-vis feito o palhaço
eu pico a mula me aprumo e vou contente.

Nenhum comentário: