segunda-feira, outubro 28, 2013

Império das Neves


Segundo dia. Alexandre me acorda cedo pelo telefone. Eu sou surpreendido pelo café da manhã duplo que recebo. Supostamente estaria acompanhado. Como o meu bocado e o da minha parceira invisível.
É bom me ver no espelho quando deito e olho para o teto. 
Desenhei a logomarca do Bariloche no meu caderno de notas, um boneco de neve, quase um oximoro semiótico, visto que no Rio de Janeiro o calor é sempre extenuante. O ar condicionado permanece ligado... a movimentação dos camareiros dá um ar de cotidiano nessa terça feira que se desenrola.
Bem, banho, pauta, pasta e lá vamos nós.
“Senhor Wilson, cá estamos nós mais uma vez”. Dessa vez estávamos munidos de quartoze fitas cassete compradas em uma loja no bairro da Tijuca e pilha alcalina reserva.
Nada podia dar errado.

[... triste detalhe: acabo de saber através do Alexandre Segundo, via Facebook, que há um camarada, habitante da região sul do Brasil, escrevendo a biografia oficial do Wilson das Neves. E que quatorze fitas se perderam.
Desincentivo?
Não para o meu fôlego pulsante.
Que essa então seja a biografia não oficial.
leiam!...]


Cheguei bem mais animado. Eu já conhecia o caminho a ser percorrido pela linha vermelha. Ao entrar na ilha, já sabia onde se localizava a residência de Wilson. Ao entrar na casa, já sabia as escadas que subiríamos até o terraço. Já imaginava a vista e o quadrante do sol, uma visão opaca de floresta ao fundo à esquerda e o mar a se perder no horizonte. Se a memória não me roubou nada.
só não sabia, de fato o que iria ouvir.
O sol comanda as ações. Antes que eu percebesse já estávamos abrindo latas e cervejas novamente. O que depois pude verificar ser uma coisa que foi incorporada à cultura.
O sol e o litoral. O sol e a margem...
A atitude litorânea impele para as frentes.
Faz com que as pessoas sejam obrigadas a mostrarem seus corpos e suas mentes.
Suas cabeças pensantes, seu senso de autopreservação e seu discurso de inefabilidade são repassados em brasa quente pelo inevitável calor de verão.


Nenhum comentário: