terça-feira, maio 27, 2014

Para Ninguém

Despedida



talvez apenas vasculhou pedaço
da poesia como eu te amei
amigos meus e não só
Eu por você qualquer prosa
e fui terrivelmente solitário

poesia eu não te amo
Eu não escrevi-lhe o sangue venoso
e não me trouxe qualquer esperança
mas aproximou-se em silêncio da cabeça

você ainda mora meus poemas
e não tenho ideia ou conhecimento
você costurou minhas asas
ainda vamos, te peço

.

Nenhum comentário: