terça-feira, fevereiro 10, 2009

Cortex

Eu havia lutado com a morte. É o combate mais desinteressante que se pode imaginar. Acontece numa impalpável zona cinzenta, com nada sob os pés, nada ao redor, sem espectadores, sem clamor, sem glória, sem o grande desejo de vitória, sem grande medo da derrota, numa atmosfera doentia de tépido ceticismo, sem fé em nossos próprios direitos. Se tal é a forma da última e definitiva sabedoria, então a vida é um quebra-cabeça maior do alguns de nós supõem que seja.

O Coração das Trevas – 1902.
Joseph Conrad (1857 – 1924)
(Coleção Pocket L&PM, 1997)

5 comentários:

Papagaio Mudo disse...

Caros amigos,

Publiquei esse trecho extraído do livro O Coração das Trevas, porque chamou-me a atenção a acertividade com que o marinheiro polonês (que se tormou grande escritor da língua inglesa) descreve a batalha existencial entre ganância material, impulsos atávicos e sanidade mental. Essas palavras melhor descrevem o que sinto a esse respeito. Selvagem, educado, inconclusivo.

Gustavo

ps: self-control, sailor..

jugioli disse...

Adorei conhecer o seu espaço.

Adoro, literatura, colagens....

JU

Delírios das Borboletas disse...

ola seu blog ganhou um selo pela sua qualidade va buscar seu premio no meu blog.

Papagaio Mudo disse...

Juglioli,

obrigado pela visita, apareça mais vezes, pra gente tomar um café...
um abraço forte,

Gustavo

Papagaio Mudo disse...

delírios das borboletas,

quanto prestígio receber um selo de qualidade! muito obrigado pela indicação.
Abraços,

Gustavo

ps: pessoal, confiram!

http://deliriosdasborboletas.blogspot.com/