sexta-feira, maio 03, 2013

sem ter


Paixão da minha existência atribulada

The Sun is shynning
the weather is sweet

O sol tá brilhando...
Queria que soubesse,
estou aqui.

E Já faz algum tempo tenho estado só. É contraditório haver nessa oração o verbo ter quando tem. Ter é não ter, nessa sentença. Sentença também equivale a juízo final. Numa frase deve haver conteúdo eu não deixe sombra de vazio. Uma frase deve conter plena elucidação, mesmo que e, por mais intrigante, não deve conter elucidações ocas. morreu de. Não diz nada. Mesmo que tenha morrido da morte que está implícito. Mas morreu de... que? Acidente, sonho, ócio, estados alterados de consciência? Ou simplesmente de morte morrida? Sonhou que estava vivo, mas não passou de um sonho tão somente.
Tenho me sentido só. Essa solidão que não faz sentido, que não tem direção. Mas a viva so me joga pra frente. Penso que as mulheres sentem-se menos sós que nós homens, por gerarem filhos. Minha mãe diz ser um pedacinho de nós, que somos quatro. Portanto ela são cinco. Mas nós homens, que somos nesse mundo, estamos de menos desse tico. Semente plantada nesse oco deslembrado. Saudade do lugar de onde surgimos. 
Deus-macho-fêmea. 
O vento sussurra em meu ouvido. 

Como pode o pássaro cantar preso na gaiola?

I wanted you to know that
here I am...

Os tigres da ira são mais sábios que os cavalos da instrução.

A viagem do shamam é diferente da viagem do herói épico, que é linear. 
A viagem do shamam é vertical. Pra cima ou pra dentro.

Andei perdido.

...take a walk

over the rainbow
I wanted you toknow that
I’m a rainbow too...

Nenhum comentário: