quarta-feira, julho 31, 2013

nossa vida



Não sei o que eu poderia escrever nesse momento. Meu irmão mais velho está se desligando de um afeto que durou dezenove anos. Construíram muitas coisas juntos e agora tudo se esvai como água que escorre pelas mãos.
Ele me abraçou e ficou emocionado, olhos embargados, uma lágrima que não caiu. Ele é como um pai para mim. Da primeira vez em que estive numa clinica psiquiátrica foi ele quem me levou, ele que tratou de mim como um pai trata um filho. Aos cuidados dele eu me desliguei das coisas que me faziam tanto mal.
Agora estou tremendo, o que faz de mim um tremendo otário. Amanha devo partir para um novo mundo. Para uma jornada de recuperação. Não aguento mais. Meu corpo demonstra os sinais de cansaço. Estou um bagaço. Doente abatido. Também me desliguei de um grande afeto. Também sofro a dor de uma separação. Devo deixar aqueles que amo. Devo aplicar a lei do amor. Devo pagar a vida aquele preço que me será cobrado, a custo de muito sofrimento. Sei que serei feliz depois disso. Sei que mereço o que passei, mas isso é passado. Embora eu ainda esteja vivendo um grande conflito íntimo. Meu...
Sobre nós passou um trem descarrilado.

Nenhum comentário: