domingo, maio 24, 2015

doravante, nos dias de hoje...




De repente vieram uns caras aqui e me pegaram à força e me levaram para um casa de reabilitação de D.Q. na estrada de Esmeraldas. Tomei uma "gravata" que nunca vou esquecer. Depois, no caminho, os defeitos de caráter instintivamente afloraram. Pareciam que estavam agindo em fuga, numa espécie de sequestro. É incrível como o ser humano não muda. Parece determinismo dizer isso, mas é fato. No íntimo ninguém muda, muito embora possa se modificar - o que é diferente. Os defeitos de caráter só se tornam atributo, virtude, qualidade, quando fecham a tampa do caixão. Passei seis meses nesse lugar. Confinado, claro. Mas enfim, voltei. Voltei finalmente. Recentemente a ser um xamã. Acho que Baudelaire tinha mesmo razão "Manejar sabiamente uma língua é praticar uma espécie de feitiçaria evocatória".

Nenhum comentário: