domingo, junho 15, 2014

Copa 






Hoje saí pra ver a Copa. A Copa do Mundo. Você sabe o que é. Tinha gente demais na rua. Gente de pé e sentada. Gente atrás de gente em filas entre multidões. Todo mundo com uma lata de cerveja na mão. As mulheres com barrigas de fora batiam no meu nariz seus umbigos. Quase lambi uns selinhos. Mas me contive. Estava comigo mais uns meninos vizinhos e minhas irmãs Swellen e Keittie Kelly, menores que eu que me davam a mão entre a multidão durante esse negócio de Copa. Do mundo eu vi um monte de gringo, cada qual mais gordo que o outro, enfiando a mão no cangote das brasileiras felizes. Todos pareciam ter estrelas nos olhos. Nem olhavam pra nós pequenos misturados com a multidão. Nem sabiam de nós atrapalhando seus passos, mais parados do que andando. O jogo já havia acabado, nem sei quem ganhou ou perdeu. Não era Atlético ou Cruzeiro ou Brasil e alguma coisa. Eram dois times de gringos que não sei o que eram. Mas sei que os umbigos luziam, escorridos de suor e um selinho lambido naquele umbigo parecia um sonho. Mas era preciso tirar algum proveito da copa. 







Cláudio Rodrigues

Nenhum comentário: